A magia do Tarot, com Renato Araújo

O Tarot é uma ferramenta poderosa de autoconhecimento. Interpretado como um verdadeiro oráculo, de muito respeito, um mediador é capaz de promover essa ponte entre o tarot e o consulente. São pessoas que sentem-se chamadas para esse tipo de serviço à humanidade, se prontificando como instrumento de propagação de autoconhecimento. Escolhem estudar e mergulhar nesse mundo de uma maneira profunda e completamente íntegra. Renato Araújo se encaixa nesse contexto: tarólogo e astrólogo, o sagitariano é imensamente respeitoso com a prática e oferece seus serviços à domicílio, com diferentes formatos de tiragem do baralho. Se formou em Tarot Sistêmico, com a grande Marianne Schaffner e é aluno-aprendiz da astróloga humanista Antonella Grossi. Boa Vida Online mergulhou nesse universo e trouxe todas as informações necessárias sobre esse estudo milenar poderoso, segundo as palavras de Renato. Confira:

Significado

“O Tarô é um instrumento sagrado que nos permite tocar áreas de difícil acesso do nosso inconsciente. É também um mistério, pois ninguém sabe ao certo sua origem. Alguns dizem se tratar do Livro de Thoth – um cabedal de instruções sagradas, redigido no Antigo Egito, que descreve a rota da iluminação. Reza a lenda que os sacerdotes egípcios, com medo de que esse conteúdo se perdesse com o tempo, decidiram que a única forma de preservá-lo era transformando-o num jogo. E assim – ao menos miticamente – nasceu o Tarô. Sua controversa origem não o tira legitimidade, mas magnetiza em si o poder do mistério. É nesse espaço onde residem os maiores tesouros”.

A que fim se destina

“A finalidade do Tarô varia com a abordagem que o tarólogo usa na hora de instrumentalizá-lo. Mas, de forma ampla, o Tarô é um instrumento de conexão com áreas do inconsciente de difícil acesso. Nessas áreas, remontam nossos medos, desejos e complexos, que normalmente encontram-se ocultos pela estrutura do ego. As imagens das cartas do Tarô são de grande importância por isso: elas são chaves que rompem sutilmente essa estrutura, abrindo uma miríade de conteúdos que podem trazer a cura e o entendimento”.
 

Desdobramentos do Tarô

“O autoconhecimento vem a partir do contato com camadas mais profundas de nós mesmos e o Tarô é mestre em propiciar esse tipo de conexão. Nas suas 22 principais cartas – os chamados Arcanos Maiores – encontram-se arquétipos (‘tipos’ arqueológicos; espécies de categorias de pensamento e percepção) que existem simultaneamente em todos nós. Existe o arquétipo do pai, da mãe, do herói, do louco, do velho dosábio… são várias facetas que coexistem em nosso interior. No decorrer da existência, podemos acabar reprimindo ou nos fixando em algum desses arquétipos, o que conduz a uma percepção da vida limitada e julgadora. Quando entramos em contato com essas energias e as liberamos para fluir, nos libertamos dos grilhões que nos limitam e podemos vivenciar nossas vidas de forma mais ampla, íntegra e verdadeira. Isso é autoconhecimento”.

O Tarô e seus símbolos

“Alguns podem achar que as imagens do Tarô (ao menos o de Marselha, que é reconhecido como ‘clássico’) são aleatórias ou frutos de pura especulação. Mas isso não é verdade. A simbologia do Tarô encontra-se profundamente enraizada no inconsciente coletivo da humanidade. Em trabalhos meditativos, por exemplo, é possível receber algumas dessas imagens, mesmo que você nunca tenha sequer visto um baralho de Tarô. Essas simbologias são importante, pois funcionam como verdadeiras chaves, capazes de nos abrir novos campos de percepção rumo aos segredos de nós mesmos e do universo”.

Qual o tempo mínimo de intervalo para abrir o tarô?

“Não há uma regra. O consulente sente quando chega a hora de fazer uma nova consulta. E caso ele se precipite, buscando desesperadamente uma orientação que ele já tem, provavelmente se sentirá frustrado, pois o Tarô mostrará que as mesmas questões ainda estão a ser resolvidas. Você pode enganar a si mesmo, mas não o Tarô”.

“Graças ao Tarô,  tive força coragem pra abandonar um curso superior que não me fazia bem. O Tarô me mostrou como fazer melhores escolhas e me deu o poder de entender os processos que ocorrem na minha vida, de uma forma clara e precisa. Ele me mostrou que sempre há o poder de escolha e que todas as alternativas são possíveis – e mostrou também que em cada uma delas, há preços e consequências. Tomar as rédeas da vida – algo que o Tarô também me trouxe – é se empoderar dessas escolhas e ir em busca das melhores consequências”. Renato Araújo.

O jogo de Renato

“Atualmente, utilizo Rider-Waite Tarot, um baralho produzido pelos místicos Edward Waite e Pamela Colman Smith, em 1910. A forma de tiragem varia a partir das questões que o consulente busca explorar. As tiragens que mais faço são A Cruz Celta e Os 4 Elementos. Ambas fornecem informações preciosas, relativas às circunstâncias presentes, passadas e futuras da vida do consulente; sendo a abertura dos 4 Elementos especialmente interessante para avaliar o equilíbrio das quatro energias elementais na vida do indivíduo. A partir disso, podemos ver em que área da vida há a necessidade de mais foco e atenção. Também faço tiragens pautadas na mandala zodiacal da astrologia e abertura para casais”.

Outras formas de autoconhecimento

“Estou dando início a minha trajetória como astrólogo e uso muito desses conhecimentos na consulta de Tarô também. São ciências aliadas, que tratam de um mesmo tema, mas com linguagens diferentes. Saber decodifica-las e uni-las é a pedra filosofal do autoconhecimento”.

Agende seu horário

Renato realiza consultas individuais e para casais, em um arsenal de diferentes tiragens, dependendo da situação do consulente. São elas: A Cruz Celta | Os 4 Elementos | Mandala Astrológica | Mapa Energético | Orientação Para Casais.

Normalmente, os atendimentos são realizados em sua casa (situada perto da Praça Nova Suíça, no Setor Bueno). No entanto, ele também vai até o consulente, se assim for solicitado. Para tiragens de grupos acima de três pessoas, há preços especiais; normalmente, é reservada uma manhã ou tarde e o atendimento de cada um é realizado individualmente.

Comentários