A volta da sífilis, com o urologista Alexandre Sávio

Em silêncio, a volta da sífilis se anuncia, infectando pessoas desavisadas e que insistem no sexo desprotegido. Uma doença antiquíssima. Parece surreal que milhões de brasileiros estejam novamente se infectando e espalhando a doença.  Sim, porque a sífilis pode ficar latente por muitos anos. Ao transar sem a camisinha…

Uma péssima notícia: depois de alguns anos na forma latente, a sífilis pode gerar complicações graves no sistema nervoso central. Há casos de demência e morte provocados por essa DST. Agora, a boa notícia: se for descoberta logo, o tratamento é rápido e eficaz. Mesmo assim! Esta é uma doença jurássica. Aliás, transar sem camisinha é jurássico.

Não pise na bola nem dê chance para o azar: Faça amor com segurança, use camisinha!

Este é mesmo o maior problema. Tem muita gente pisando na bola. Pensava-se que o uso de preservativos no sexo fosse um assunto resolvido entre os jovens do século 21. Mas parece que não. Assim como homens e mulheres maduros são negligentes com esse cuidado, os jovens também têm sido. Talvez porque eles não tenham vivido as décadas da proliferação das DSTs. Fato é que pessoas de qualquer idade, ou condição social, têm deixado de lado a camisinha e o sexo seguro. Resultado: o que era para ser passado está de volta! Especialistas de saúde alertam: o país vive a volta da sífilis, com crescimento do número de casos nos últimos anos. É uma epidemia que se instala?

Para, mais uma vez, alertar para a importância do sexo seguro, Boa Vida Online foi em busca de informações. Nesta entrevista com nosso consultor, o médico urologista Alexandre Sávio, abordamos a volta da sífilis e as suas complicações.

A volta da sífilis, um alerta do médico Alexandre Sávio de Freitas

Dr. Alexandre Sávio de Freitas, Urologista, CRM – GO 5778. Nosso consultor não se conforma que uma doença do passado volte com toda essa força. Vivemos a Era da Informação. Transar sem camisinha é muita inconsequência. “Ninguém merece a volta da sífilis”

A volta da sífilis

Aurélia Guilherme – O que caracteriza a volta da sífilis?

Dr. Alexandre Sávio – Esta é uma doença venérea seríssima, causada pela bactéria treponema pallidum. Por conta da aparência de sua lesão inicial, a sífilis é conhecida popularmente como cancro duro. Trata-se de uma úlcera pequena, indolor e endurecida que surge entre a primeira e a terceira semanas após o contágio. Pode aparecer nos órgãos genitais ou em outras partes do corpo. Nas mulheres pode aparecer, internamente, na genitália e por isso não ser vista. Pior ainda é quando ela não é tratada. A lesão tende a desaparecer em até 7 semanas. E é justamente aí que mora o perigo! A pessoa infectada acha que aquele “probleminha” de saúde passou. Só que a infecção segue em evolução.

Visite o perfil do médico Alexandre Sávio Oliveira de Freitas e confira outras matérias.

Aurélia Guilherme – Como se dá a infecção com a sífilis?

Dr. Alexandre Sávio – A sífilis é transmitida pelo contato sexual, sem uso de camisinha. Também pode ser transmitida de mãe para filho, durante a gestação, quando a mãe for portadora da infecção. Hoje, depois de tantos anos de debates à respeito dos perigos das DSTs, ainda há muito desconhecimento sobre a sífilis. Ela é uma doença grave, que tem tratamento eficaz e rápido, quando descoberta logo. Mas, pode levar a sérias complicações, se não for diagnosticada e tratada. Seu comportamento no organismo pode ser latente e revelado só depois de muitos anos. Isso seria trágico. Uma doença de fácil tratamento se agravar dessa forma por falta de conhecimento. São graves os danos à saúde.

A volta da sífilis

Uma das consequências do sexo sem preservativos é a volta da sífilis. Erupções nas mucosas e na pele são sinais de manifestação da doença

Aurélia Guilherme – E como pode ser feito esse diagnóstico?

Dr. Alexandre Sávio – Com um exame de sangue chamado VDRL, que significa teste do laboratório de pesquisa de doenças venéreas. Esse exame detecta, se há no organismo da pessoa, anticorpos para o combate da bactéria treponema pallidum. Quem fez sexo sem proteção e, principalmente, quem detectou alguma lesão, como  as descritas acima, se submeteu ao risco. Portanto, deve procurar orientação médica para fazer o exame.

Aurélia Guilherme – Quais as consequências da sífilis em mulheres grávidas? E o que é sífilis congênita?

Dr. Alexandre Sávio – Essa é outra nuance séria da volta da sífilis. No caso de mulheres grávidas e infectadas, a sífilis pode causar aborto, malformações ósseas e manifestações na pele. Pode até levar à morte do recém-nascido. Essa informação assusta bastante! Mas vale ressaltar que, quando a gestante é tratada adequadamente, o bebê também é tratado. Isso ainda dentro do útero. O tratamento deve ser feito do primeiro até o segundo trimestre da gravidez. Portanto, volto a repetir, o diagnóstico rápido da doença é fundamental para o sucesso do tratamento.

Sífilis congênita é aquela transmitida da mãe para o bebê durante a gravidez, pela placenta, ou no parto. Se infectado, o bebê pode não apresentar sintomas. Portanto, filhos de gestantes infectadas devem ter um acompanhamento especial pelo pediatra. Devem ser feitos exames para detectar uma possível contaminação. Do contrário, se não for tratada, a criança pode até desenvolver surdez e problemas de dentição.

“O comportamento da sífilis no organismo pode ser latente e revelado só depois de muitos anos. Isso seria trágico. Uma doença de fácil tratamento se agravar dessa forma por falta de conhecimento. São graves os danos à saúde”.

Aurélia Guilherme – Quais são os estágios da doenças?

A volta da sílifis: lesões pelo corpo, comuns na sífilis secundária

A volta da sífilis se deve, principalmente, pela resistência ao uso de preservativos. Porém, a doença pode se tornar latente e se espalhar silenciosamente. O mundo vivencia uma possível epidemia

Dr. Alexandre Sávio – Dizemos que a sífilis tem três estágios. Algumas semanas após o contágio com a bactéria pode surgir a sífilis primária. Ela pode ser assintomática. Mas podem também aparecer feridas indolores nas genitálias, no colo do útero ou mesmo no reto. Como disse antes, a úlcera some espontaneamente, mesmo sem tratamento. E isso traz o pensamento de “cura”.

Passadas outras duas ou três semanas dessa primeira lesão, um terço das pessoas infectadas podem ter a chamada sífilis secundária. Esse estágio é caracterizado por um quadro clínico mais complexo. Surgem lesões por todo o corpo, principalmente nos pés e mãos, o que pode ser confundido com uma alergia. O paciente sente os mesmos sintomas de um resfriado: febre, dores musculares, dor de garganta. Também tem dificuldades para engolir além de ínguas nas axilas e outras partes do corpo. Assim como na sífilis primária, todos os sintomas tendem a desaparecer, independente do tratamento correto. A doença volta a ficar inativa, mas presente no organismo.

Leia também:

Tratamento para problemas de ereção

Hiperplasia Benigna da Próstata

Aurélia Guilherme – A sífilis volta a se tornar latente e mascarar um quadro de saúde com sua ausência, é isso?

Dr. Alexandre Sávio – Exatamente! A sífilis pode permanecer latente por anos. E a pessoa portadora continua a transmitir a doença, se fizer sexo sem prevenção. A doença pode até não se manifestar mais nesse paciente. No entanto, quando a pessoa desenvolve os quadros mais graves, ela estaria atravessando as fronteiras para um terceiro estágio. É a sífilis terciária. Surgem, nesse momento, as manifestações neurológicas, casos de demência, paralisia, cegueira e o paciente pode até falecer. Pesquisas apontam que 15% dos pacientes que não tratam a doença no primeiro momento desenvolvem a sífilis terciária.

Aurélia Guilherme – Uma vez diagnosticada, como é feito o tratamento da sífilis?
Dr. Alexandre Sávio – A penicilina é usada no tratamento da sífilis. Esse antibiótico é eficaz no combate da bactéria. E, no caso da sífilis primária, apenas uma injeção pode ser suficiente para a cura da doença. Em estágios mais avançados podem ser necessários mais doses e um acompanhamento mais longo. Inclusive, o médico deve acompanhar e tratar possíveis efeitos colaterais da penicilina.

Aurélia Guilherme – A melhor forma de se proteger é…

Dr. Alexandre Sávio – Sexo seguro, use camisinha. Assim, você se protege contra doenças sexualmente transmissíveis, entre elas, a sífilis e evita uma gravidez indesejada. Jovens, usem camisinhas! Homens e mulheres, protejam-se! A volta da sífilis não é aceitável no século 21!

Saiba mais sobre como ter prazer sem riscos, leia Sexo seguro

#boavida #boavidaonline #avoltadasifilis #dsts #sifilis #sexoseguro #complicacoesdasifilis #dralexandresavio #jovensesifilis #usecamisinha #jovensedsts

A volta da sífilis preocupa: Heleno de Freitas foi uma das suas vítimas, morreus louco aos 39 anos

Boêmio e galã, o jogador Heleno de Freitas entrou para a história como um dos maiores craques do futebol sul-americano. Apesar da fama, morreu jovem, aos 39 anos, internado em um manicômio na cidade mineira de Barbacena. Vítima de sífilis, sem tratamento, ficou louco.

Comentários