Alergia, com a doutora Lorena Diniz

O contato do organismo com um alérgeno, substância estranha ao nosso organismo, como ácaros, baratas, mofo (fungos), pele e pelos de animais (gatos e cães), pólens de flores, alimentos e medicamentos, pode não significar nada para alguns, mas para outros, o corpo tem uma reação exagerada e o sistema imunológico entra em ação. Nessas pessoas, o organismo sofre uma reação alérgica ao identificar o invasor, lançando substâncias de defesa (histaminas), que combatem o inimigo, mas também causam os sintomas da alergia. O nariz escorre e coça, os olhos lacrimejam, ficam irritados e inchados, aparecem urticárias e pruridos pelo corpo, o paciente sente falta de ar e a pele seca, como alguns dos sinais da reação do organismo que tem

Dra. Lorena Diniz – Alergia e Imunologia – CRM-GO 10999

susceptibilidade à alergia, diante de um corpo estranho. Milhões de pessoas sofrem algum tipo de Alergia, que pode ser apenas uma condição incômoda e inofensiva e até passar muito tempo sem se manifestar, mas pode também levar a um choque anafilático súbito, com desfecho trágico de morte, principalmente naqueles que são hipersensíveis a algum medicamento, alimento ou picada de inseto.

A Alergia está relacionada à hereditariedade, que é desencadeada por fatores ambientais. Em todas as idades, qualquer pessoa pode começar a ter o problema de um dia para o outro, mas é muito comum que as primeiras manifestações aconteçam já na infância. Sabe-se que, quando ambos os pais são alérgicos, 50% dos filhos nascem com predisposição genética a desenvolver algum tipo de Alergia. Essa tendência cai para 30%, quando apenas um dos pais é alérgico. Mas é possível que uma criança nasça com predisposição para doenças alérgicas, mesmo quando os pais não são alérgicos.

O estilo de vida mudou muito nas últimas décadas. Estamos cada vez mais em contato com substâncias alergênicas, principalmente nas grandes cidades. O ambiente natural está carregado de poluentes; as pessoas se isolam quase que o dia todo em casa, na escola ou no trabalho, fechadas em ambientes abafados, aquecidos ou úmidos demais, compartilhando o mesmo espaço com animais domésticos e os ácaros que, sozinhos, são responsáveis por boa parte dos casos de Alergias Respiratórias.

A Asma e a Bronquite, muito comuns na infância, se manifestam de forma repentina, com crises recorrentes de falta de ar e sufocamento, tosse seca, chiado no peito, principalmente após contato com alérgenos, mudança de temperatura, exercícios físicos ou durante alguma situação de estresse. A intensidade é variável. As crises de Asma, se não tratadas, prejudicam os pulmões e podem provocar a morte.

Já a Rinite se caracteriza pela inflamação das vias aéreas superiores, que provoca espirros intermináveis, coceira e obstrução nasal, além de dor de cabeça. Em maior ou menor grau, geralmente quem é asmático, também tem rinite e vice versa.

A alimentação pode ser outro fator desencadeante do processo alérgico, com sintomas que podem surgir na pele, nos sistemas gastrointestinal e respiratório, reações que podem ser leves, como uma simples coceira nos lábios ou reações graves que podem comprometer vários órgãos. Por isso, todo o cuidado é necessário. Diferentemente da intolerância alimentar, que é uma resposta fisiológica adversa a um determinado alimento, sem envolvimento do sistema imunológico e sem riscos para o paciente, a Alergia Alimentar acontece por uma permeabilidade do sistema digestivo, que absorve determinadas proteínas alimentares capazes de produzir alergia, em quem tem predisposição genética. É um mecanismo fundamentalmente imunológico. Os alimentos mais citados como causadores de alergias alimentares são de natureza protéica, como leite, ovos, amendoim, castanhas, camarão, peixe e soja. Normalmente, os sintomas aparecem quase imediatamente após a ingestão do alimento, na forma de cólicas, vômitos e diarréia. Em outros casos, surgem manifestações cutâneas com o aparecimento de manchas avermelhadas, salientes, que causam muita coceira em várias partes do corpo. A Alergia Alimentar pode se manifestar também através da irritação das vias respiratórias e em situações mais graves, com um choque anafilático, em que há inchaço da língua, dificuldade respiratória, hipotensão, arritmia, reações que exigem cuidados médicos imediatos, uma vez que pode ser fatal.

A Dermatite de Contato é uma reação inflamatória da pele, depois do contato direto com alguma substância irritante à pessoa. Muito comum nas mulheres pelo uso de bijuterias, maquiagens e químicas de cabelo. A reação pode ser imediata e de forma aguda ou lenta e recorrente, quando a alergia é crônica, muito frequente nas donas de casa que usam detergentes em contato direto com as mãos. A pele fica ressecada, irritada, com vermelhidão, coceira, ardência e descama.

Na Alergia Medicamentosa por via oral, injetada ou aplicada na pele, da mesma forma que nos outros tipos de alergia, o sistema imunológico é ativado, ocorrendo uma verdadeira reação inflamatória do organismo, que varia desde uma erupção cutânea ligeira até ao inchaço súbito de várias partes do corpo, com baixa potencialmente grave da pressão arterial e risco de morte.

A Alergia não tem cura, mas pode ser controlada naturalmente pelo próprio organismo ou por uma higiene ambiental, alimentação saudável e rica em alimentos orgânicos, por uso de medicamentos e de vacinas. Dessa forma, a alergia pode permanecer em um longo período de latência, que ocorre quando o organismo do paciente se equilibra, porém, não é possível afirmar que o paciente não é mais alérgico. É importante o acompanhamento do médico especialista, que vai investigar as causas da alergia e recomendar os remédios mais adequados para controlar a doença. Existem novas versões de medicamentos que provocam menos efeitos colaterais. Embora nenhum medicamento esteja isento de uma reação adversa, com a tecnologia da indústria farmacêutica, esses eventos estão cada vez mais controlados.

O estilo de vida mudou muito nas últimas décadas. Estamos cada vez mais em contato com substâncias alergênicas, principalmente nas grandes cidades. O ambiente natural está carregado de poluentes; as pessoas se isolam quase que o dia todo em casa, na escola ou no trabalho, fechadas em ambientes abafados, aquecidos ou úmidos demais, compartilhando o mesmo espaço com animais domésticos e os ácaros que, sozinhos, são responsáveis por boa parte dos casos de Alergias Respiratórias.

Comentários