Aterosclerose e a Angioplastia com Stent, com o Cardiologista Hemodinamicista Raphael Freire

Aterosclerose e a Angioplastia com Stent

Aterosclerose é uma das doenças cardíacas mais frequentes. Placas de gordura se acumulam e se instalam em algum local. Ali, o sangue tem muita dificuldade de passar. A Aterosclerose favorece uma angina (dores no peito) e isso pode se desenvolver para um infarto. É fundamental  melhorar o fluxo sanguíneo no local da obstrução. Quando toda a normalidade se restabelece, o melhor é cuidar melhor de si. É preciso adotar um estilo de vida saudável para o coração. Vamos aos esclarecimentos sobre Aterosclerose e a Angioplastia com Stent. Nosso consultor em Hemodinâmica é o Cardiologista Hemodinamicista Raphael Freire (leia-se Incor – São Lucas):

Aterosclerose e a Angioplastia com Stent,

“Aterosclerose e a Angioplastia com Stent – A estreita passagem de sangue nas artérias indica que há placas de gordura. É preciso evitar um infarto”, Dr. Rafael Freire, Cardiologista hemodinamicista, CRM-GO 11866.

Para que serve a Angioplastia

“A Angioplastia é um procedimento minimamente invasivo, que utilizamos para a desobstrução das artérias que conduzem o fluxo sanguíneo até o coração. Inserimos um cateter com um balão, até o local obstruído, geralmente pela artéria femoral, através de uma pequena incisão na virilha. Exames de imagens nos permite ser teleguiados até o local da lesão. Chegando lá, inflamos o balão, até que as placas de gordura se rompam. Assim, conseguimos aumentar o diâmetro da artéria, restabelecendo o fluxo de sangue normal”.

A evolução dos Stents

Um cateter, com um balão, é inserido na artéria e conduzido até o local obstruído. Chegando lá, infla-se o balão, até que as placas de gordura se rompam. Assim, o diâmetro da artéria é reestabelecido e o fluxo de sangue segue normalmente o seu caminho

“Em muitos casos, se faz necessária a implantação de um stent.  Stents são pequenas armações que, ao serem implantadas em algum local estreitado de uma artéria,  facilita o fluxo sanguíneo que irriga o coração. Portanto, em se tratando de uma artéria obstruída, o stent é deixado, exatamente no local da lesão. Assim, garante-se que a artéria vai se manter desbloqueada. Com isso, o paciente encontra nova disposição e menos dores no peito.

Ao longo da história da Cardiologia, os stents vêm sofrendo uma série de transformações no material utilizado, nos desenhos da malha e em sua espessura. Sua função tem sido ampliada a cada novo modelo.

Os avanços foram surgindo e o stent, além de abrir o diâmetro da artéria para a passagem do sangue, também ser tornou um veículo de liberação de medicamentos. Assim, evita-se novo estreitamento da artéria. Essa geração de Stents entrou no mercado, trazendo ainda mais esperanças de progresso.

Os Stents farmacológicos funcionam, como uma espécie de esponja embebida no medicamento. Esse tipo de esponja se desfaz aos poucos, na medida em que libera a droga.

Mas, a evolução da Hemodinâmica é constante e a quarta geração dos Stents, a mais revolucionária delas, é biorreabsorvível. Feitos da mais alta tecnologia, os Stents biorreabsorvíveis utilizam um material em sua composição que, em contato com a parede dos vasos, reage quimicamente. Em 6 meses, depois de implantado, o stent começa a ser absorvido pelo organismo. Em dois anos, desaparece  sem qualquer efeito colateral. Pura ciência tecnológica”.

Leia também: Hemodinâmica em Goiânia, Incor – São Lucas. A evolução do tratamento das doenças do coração

Mude de vida

Porém, o doutor Raphael nos lembra que, mesmo com tanto avanço das técnicas e do material utilizado na Angioplastia e, com toda a capacidade hemodinâmica de revascularização e reabertura das artérias, a aterosclerose é uma doença que se mantém destruidora das artérias, enquanto o paciente se mantiver com um estilo de vida pouco saudável.

Mas é possível evitar uma Aterosclerose e a Angioplastia com Stent. A doença aterosclerótica tem que ser contida. O paciente deve  iniciar um programa de atividades físicas para facilitar  o controle de peso. A alimentação que beneficia o coração está baseada nas frutas, grãos integrais, vegetais, menos carne vermelha, pouca gordura saturada, mais peixe e pouco sal. Se o paciente tem diabetes, é fundamental um controle rigoroso do nível de glicemia no sangue.

Todas essas medidas, retardam o avanço da doença arterial coronariana. O controle do colesterol deve ser mais rigoroso. Se houver necessidade, o especialista deve prescrever um medicamento que baixa o nível de colesterol no sangue. Da mesma forma, há de se ter um controle maior da pressão arterial. Caso o médico prescreva algum medicamento, tome-o conforme a receita e não abandone a medicação por conta própria. O estresse precisa ser reduzido. Utilize técnicas de respiração e se divirta mais. Isso é importante.

Para terminar, caso o paciente seja fumante, abandone o vício imediatamente. O cigarro tem substâncias que contraem os vasos sanguíneos. Isso aumenta a pressão e o ritmo cardíaco, o coração precisa se esforçar ainda mais para trabalhar. Isso, sem contar que o monóxido de carbono, outra substância maléfica do cigarro, reduz o oxigênio do sangue. O monóxido de carbono envelhece o revestimento dos vasos sanguíneos. O sangue fica mais espesso e isso dificulta o transporte de oxigênio. São milhares de substâncias que destroem a saúde e, para o coração, o cigarro é um verdadeiro veneno. O hábito de fumar envelhece as artérias. É preciso parar de fumar já!

#boavidaonline #boavida #aureliaguilherme #aterosclerose #angioplastia #stent #angioplastia com stent #incorsãolucas #drraphelfreire

 

Comentários