Catarata, com o doutor Ricardo Antônio Pereira

catarata

A catarata figura como a maior causa de cegueira reversível do mundo. A seguir, dez perguntas sobre essa patologia, que faz parte do processo natural de envelhecimento dos olhos, para o Oftalmologista Ricardo Antônio Pereira:

Boa Vida – A catarata é a principal causa de comprometimento da visão e é muito comum, principalmente quando vamos ficando mais velhos. O que é a catarata?

Dr. Ricardo Antonio | Oftalmologista

Dr. Ricardo Antonio Pereira, Oftalmologista, CRM – GO 5093

Dr.Ricardo Antônio Pereira – A catarata é mesmo uma causa muito frequente de perda da boa visão. Imagine subir uma serra e encontrar uma forte névoa no caminho. É assim que passa a enxergar uma pessoa em processo evolutivo de catarata. Perde-se o foco na medida em que o cristalino vai se tornando opaco. O cristalino é a lente clara e transparente do olho que permite que os raios de luz alcancem a retina para formar a imagem. O déficit visual pode ser maior ou menor, dependendo do local onde o cristalino está se opacificando. Além da perda da qualidade visual, o paciente com catarata pode ter hipersensibilidade à luz, mudança frequentemente da receita dos óculos, podendo apresentar visão dupla em um olho, visão noturna prejudicada, necessidade de mais luz para a leitura. Quando a região central do cristalino é mais afetada, a capacidade de enxergar fica ainda mais comprometida.

Boa Vida – Este é um problema natural da idade?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – O envelhecimento é a principal causa de formação catarata, no entanto algumas doenças ou situações podem dar origem à opacificação do cristalino. As alterações na composição química do cristalino podem ocorrer tanto em crianças quanto adultos. A história familiar; doenças como rubéola, toxoplasmose e infecções ocorridas durante a gestação com comprometimento para a mãe e para o feto (catarata congênita); doenças crônicas, como o diabetes; uso de medicamentos, como corticóides; traumas oculares e inflamações oculares, exposição ao sol por longos períodos sem a devida proteção também são causas para o aparecimento da catarata. Mas a causa mais comum está mesmo relacionada ao envelhecimento.

Boa Vida – Ao olhar para os olhos de uma pessoa, é possível perceber o cristalino opaco?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – É possível visualizar a catarata através da pupila, que pode se apresentar esbranquiçada ou amarelada, mas o diagnóstico deve ser feito com a utilização de instrumento e profissional adequados. Só um minucioso exame feito pelo oftalmologista pode detectar a presença e a severidade da catarata ou outro problema que seja o responsável por deixar a visão embaçada e desconfortável.

Boa Vida – A catarata pode cegar? Como é a progressão da doença?

Olho afetado pela catarata

Cristalino límpido X Catarata

Dr.Ricardo Antônio Pereira – A evolução da doença leva mesmo à perda total da visão. A catarata, inclusive, é considerada a principal causa de cegueira reversível no Brasil e no mundo, especialmente em pessoas com mais de 60 anos. Mas não é possível prever a progressão da doença. Isso pode acontecer durante muitos anos ou poucos meses e até mesmo dias. Muitas vezes, o desenvolvimento varia de um olho para o outro em uma mesma época. Nas pessoas mais jovens e nos portadoras de diabetes, a progressão pode ser rápida.

Boa Vida – Quando a cirurgia deve ser considerada?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – Quando o paciente sentir dificuldade nas atividades diárias. A necessidade visual é que vai ditar o momento de se remover a catarata.

Boa Vida – E essa história de ter que esperar a catarata amadurecer?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – Isso é mito. O paciente deve avaliar se sua visão lhe permite executar suas tarefas com conforto e segurança, como ler e dirigir, por exemplo. As necessidades pessoais devem ser discutidas com o oftalmologista para decidir a ocasião mais conveniente para a cirurgia. A avaliação é feita monocular. Cada olho é operado separadamente em um espaço mínimo de uma semana. Se os sintomas da catarata forem discretos, é possível que a simples mudança de grau dos óculos seja suficiente. Não há medicamento ou suplemento dietético, exercício ou dispositivo óptico, capazes de prevenir ou curar a catarata. Devemos nos proteger ao máximo contra a luz solar excessiva, com óculos de sol e lentes que filtram os raios ultravioletas.

Boa Vida – O senhor considera a cirurgia de remoção da catarata como um procedimento simples e de pouco risco?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – Não podemos dizer que a cirurgia de catarata tem risco zero de complicação porque isso não existe. Mas pode-se dizer que a Facectomia, como chamamos este procedimento, é um dos mais realizados no mundo, sendo 95% deles, sem complicação. Não existe procedimento sem riscos.

Boa Vida – Como é a técnica utilizada na Facectomia?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – A intervenção é rápida e com aplicação de anestesia local sem necessidade de dormir no hospital. O objetivo do procedimento cirúrgico é substituir o cristalino opaco por uma lente artificial que recupere a função perdida. A lente intra-ocular implantada deve ter o grau que possibilite a recuperação da visão com o mínimo de grau residual possível. As lentes intra-oculares podem ser monofocais ou multifocais. Além de remover a catarata podem corrigir a miopia, hipermetropia, astigmatismo e até mesmo a presbiopia. É uma cirurgia delicada em que o oftalmologista se utiliza de microscópio e outro aparelhos computadorizados de alta tecnologia, assim como instrumental cirúrgico específicos.

Boa Vida – Como é o pós-operatório?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – O paciente operado de catarata pode retornar às suas atividades quase que imediatamente, exceto se forem atividades que possam trazer contaminação ocular. Usualmente colírios são utilizados conforme prescrição médica. Uma sequência de consultas são necessárias no pós operatório para avaliação do resultado. Em 60% dos casos operados apresentam opacidade da cápsula posterior do cristalino tardiamente. Esta cápsula é preservada durante a cirurgia para servir de suporte para a lente intra-ocular. Nesses casos, utiliza-se um tipo específico de laser que corta esta cápsula restaurando a visão

Boa Vida – Depois de removida a catarata, a visão estará restabelecida sem riscos futuros?

Dr.Ricardo Antônio Pereira – Eventualmente, a presença de problemas relacionados à retina e ao nervo ótico podem impedir a recuperação total da visão após a retirada da catarata.

Quatro alertas sobre a Catarata

  • Mau uso dos colírios causa catarata – Os colírios antiinflamatórios hormonais (com corticóide) podem causar catarata e glaucoma. Mesmo os colírios populares vasoconstritores, usados para reduzir irritações oculares, aumentam o risco de catarata pelo uso prolongado. Já os colírios antibióticos, quando usados por tempo prolongado, não causam catarata, mas aumentam a resistência bacteriana e predispõem a formação de úlceras na córnea e a outras infecções.
  • Usar lentes corretivas o dia todo – As lentes de contato foram feitas para o uso diário, de 12 a 14 horas. Usá-las além desse período, dormir com elas ou não intercalar seu uso com os óculos de grau podem gerar problemas, como olhos secos, irritabilidade e fadiga visual, ceratite, úlceras na córnea e até perda da visão. Mas, nada têm a ver com a catarata.
  • Fumar – Os fumantes apresentam um risco duas vezes maior de desenvolver a catarata, indicando mais um motivo para abandonar o vício. Estudos científicos comprovam que quando mais alguém fuma, maior a chance de desenvolver catarata.
  • Expor-se ao sol, sem a devida proteção dos olhos – A exposição do cristalino à radiação ultravioleta de maneira contínua está entre as causas do desenvolvimento da catarata. Na hora da compra dos óculos escuros, verifique o nível de proteção contra a radiação ultravioleta (tanto UVA quanto UVB) que as lentes oferecem. Tal informação deve estar disponível no adesivo afixado aos óculos ou em livretos contendo informações técnicas sobre o produto.

Comentários