Colombina, a cerveja goiana

Quem vive em Goiânia sente o cheiro da vida noturna de longe. Em cada esquina, há um bar, nem que seja o famoso boteco “copo sujo”. Do ponto de vista agregador, esse é um fator positivo, pois quem é da turma da cerveja, sempre vai se esbarrar pelos bares, Goiânia afora. No entanto, muito vem se questionando sobre a qualidade da cerveja, essa bebida que existe há mais de seis mil anos, com um sabor imensamente peculiar, que pauta diversos momentos da nossa vida.

Classificada como a terceira mais consumida do mundo, perdendo apenas para a água e o chá, a cerveja tem um valor acessível. Porém, a escolha da marca faz toda a diferença. Algumas primam pela qualidade, outras, nem tanto. Saiba que atualmente, existem marcas de cerveja que se utilizam de cereais transgênicos, que podem impactar de forma prejudicial o nosso corpo. Com isso, a bebida até pode ficar mais barata. Porém, a matemática ainda é a mesma: paga-se menos, mas bebe-se mais para se chegar ao “grau” que se quer, o que acaba dando no mesmo resultado.

 

Foi nesse contexto que Goiânia surpreendeu a todos, com a inovação artesanal dessa bebida milenar. A cerveja Colombina se mostrou presente no mercado já há alguns anos e vem disparando as vendas, agradando muito o público que a criou. “Essa cerveja é goiana mesmo?” Esta é uma das indagações frequentes da Colombina, por embasbacar a todos com um sabor realmente incrível e com uma variedade considerável de peculiaridades. “Orgulho de ser goiana” é a inscrição que leva no rótulo da Colombina, criada pelos artistas goianos Morbeck e WES, intensificando charme e identidade a bebida.

Embora ainda esteja engatinhando na consolidação da produção local, Goiânia já colocou o pé no circuito nacional com a cerveja Colombina, que consiste em um produto da Cervejaria Goyaz, uma empresa familiar que atua no mercado há 14 anos. Administrada pela filha de seus fundadores, Patrícia Mercês, é a responsável por sua criação. Engenheira de alimentos, Patrícia estudou na Bélgica, onde estagiou na cervejaria Hoegaarden, integrante do grupo ABInbev.

Assim, Patrícia trouxe a ideia de criar seu próprio produto. Quando voltou à Goiânia, iniciou seu projeto contratando o sommelier de cervejas Alberto Nascimento e a mestre cervejeira Kátia Jorge, desenvolvedora da Devassa, que deram corpo à Colombina.“Somos responsáveis pela primeira linha de cervejas especiais do Centro-Oeste. Temos uma pegada regional, utilizamos a rapadura Moça Branca, feita por pequenos produtores de Nerópolis, na composição e nos orgulhamos disso”, diz o sommelier Alberto Nascimento, que ainda está à frente do projeto.

O processo de fabricação é consideravelmente diferenciado, por trabalharem com a mistura de sabores do cerrado, em cada etapa da produção da Colombina. São diversos estilos e sabores criados de maneira detalhada para cada composição. Dentre os clássicos, estão:

Lager

De caráter leve, refrescante, de creme denso e cor dourada, no sabor marcam presença maltes especiais e lúpulos nobres, definindo a personalidade dessa Munich Helles. Uma técnica de lupulagem tardia com o lúpulo alemão Saphir incrementa o aroma com notas de especiarias e leve picância.

Weiss

A Colombina Weiss é uma cerveja de trigo clara, não filtrada. Em função do tipo de fermentação possui aroma frutado e condimentado, lembrando sutilmente cravo e banana. O aspecto frisante gera boa refrescância, o corpo leve facilita o drinkability. Ainda segue os padrões alemães de produção, levando uma porcentagem maior de malte de trigo, em relação ao malte de cevada.

I.P.A

A Colombina IPA é uma autêntica American India Pale Ale. O aroma frutado cítrico de lúpulos americanos marca fortemente essa cerveja, além do característico amargor e da bela coloração âmbar acobreado. Uma espuma densa, aveludada e persistente coroa essa cerveja que impressiona pela aparência. Em sua composição, é utilizado uma rapadura típica do cerrado, a Moça Branca.

Poema

A Colombina Poema au Chocolat é fruto de uma parceria da Cerveja Colombina com o Poema Gourmet. Neste produto, foi unido, ao estilo Imperial Stout, o famoso Cacau belga Callebaut e castanhas de Barú do Cerrado Brasileiro. Se trata de uma cerveja escura, encorpada, com notas aromáticas de chocolate, toffee, castanhas e um amargor presente e equilibrado.

A Colombina ainda dispõe de uma quantidade considerável de sabores distintos, que vale a pena conhecer de perto. Imagino que se você é um apreciador da cerveja, neste momento, está com água na boca para mergulhar nessa multiplicidade de texturas e palato. Ao sair pelos estabelecimentos goianos, facilmente encontrará uma Colombina, mas é possível ainda fazer uma visita até a fábrica, comprar a gostosa pelo site ou encomendar o barril de chopp.

Conheça Colombina

 

 

Comentários