Conheça o #APROVEITEACIDADE, que mostra Goiânia de uma forma original

Que tal enxergar sua cidade de uma maneira diferente? Pois bem, esse é o principal objetivo do #AproveiteaCidade, fazer as pessoas se relacionarem melhor com o local onde vivem, começando por Goiânia. A ideia é da jornalista Paula Falcão, e surgiu como um projeto experimental de conclusão de curso, mostrando locais que, até mesmo quem mora aqui, pouco conhece. Na entrevista a seguir, Paula revela todos os detalhes do projeto, que já tem muitos planos futuros, e explica sobre a importância de olhar nossa própria cidade com olhos de turista:

paula-falcao-jornalista-aproveiteacidade

Paula Falcão, jornalista e criadora do #aproveiteacidade

Boa Vida Online – Como surgiu o #aproveiteacidade?

Paula Falcão – O Aproveite a Cidade surgiu em 2014, como um projeto de conclusão do MOOC (Curso Online Aberto e Massivo) Introdução ao Jornalismo Mobile, promovido pela Associação Nacional do Jornais (ANJ), o Centro Knight de Jornalismo para as Américas, da Universidade do Texas e o Google. Na época, produzi dois vídeos, filmados com celular, de uma série que pretendia apresentar Goiânia, tida como uma cidade (pouco turística) com opções de lazer limitadas, principalmente para as pessoas que vivem aqui. Os vídeos, com duração média de um minuto, mostravam com uma linguagem leve, própria para a internet, o Bosque dos Buritis, na região central, e o Bosque dos Pássaros, um dos locais que emolduram grafites, no Setor Sul.  A intenção era que as pessoas pudessem compartilhá-los pelas redes sociais e pelo Whatsapp, que vivia sua efervescência como ferramenta de comunicação. O resultado é que o Aproveite a Cidade foi considerado um dos melhores projetos no MOOC – eram cerca de 2 mil alunos  -, o que me rendeu a melhor experiência profissional que já tive. Fui um dos seis estudantes selecionados para o Simpósio Internacional de Jornalismo Online (ISOJ), em Austin, no Texas (EUA).

Todo o conhecimento que adquiri naqueles dias ajudou a dar um novo rumo na minha carreira e para o projeto foi um “baita empurrão”. Por causa da premiação, produzi para o jornal O Popular uma série de quatro episódios, exibidos em maio de 2015.  Mostramos quatro lugares/passeios para o público: um pouco do que reserva o Centro da capital, com histórias que pouca gente sabe; a Rua 4, como roteiro para quem adora livros; o Museu de Ornitologia, em Campinas e  o Planetário da UFG.

Até maio deste ano, o projeto ficou engavetado. A retomada ocorreu por meio de um perfil no Instagram, rede que alimentamos atualmente, enquanto os formatos para a nova fase do Aproveite são testados até o lançamento do site, em fevereiro de 2017. A principal linguagem continuará sendo o audiovisual, que faz parte da essência do projeto. A partir deste novo momento, o projeto, que começou com minha irmã Carla, então com 17 anos, gravando minhas reportagens com um celular Samsung S3 Mini, ganhou metas ambiciosas e passou a ser pensado também como negócio. Queremos que ele caminhe de forma independente e cresça.  Meu papel, principalmente, é gerenciar e produzir conteúdo. Já a minha sócia, Nana Caê, encabeça a parte do business e da inovação.

Boa Vida Online – Qual o principal objetivo do projeto?

Paula Falcão – O principal objetivo do Aproveite a Cidade é mudar a maneira como as pessoas se relacionam com o local onde vivem, ou onde estão.  Nós queremos que as pessoas sintam que a cidade é, de verdade, um lugar delas. Acreditamos que todos ganham com essa sensação de pertencimento. Assim, podemos ter pessoas mais preocupadas em fazer uma cidade melhor e, consequentemente, faremos as pessoas melhores. Como chegar a este objetivo? Com informação bem produzida e linguagem atual. Mostraremos o que a cidade tem de bom para ser desfrutado, relatando principalmente a experiência. Fotografia e vídeo são grandes aliados, bem como a cumplicidade com o nosso público. É importante ser honesto para construir este laço e estamos realmente dispostos a isso.

Boa Vida Online – O que você já descobriu de novo em Goiânia?

aproveiteacidade-paula-falcao

Marginal Botafogo vista do teleférico do Parque Mutirama

Paula Falcão – O projeto tem esse objetivo maior de mudar a relação com o meio, em qualquer lugar em que você estiver, mas não faz nem sentido começar por outro lugar, senão na nossa cidade, Goiânia.  Porque é bom saber que aqui não tem só bar. A gente também ama bar – do Marista ao bar da esquina, com cerveja barata e quitute cheio de personalidade. Ama balada, cinema, parque, beco. A cidade pode lhe ofertar experiências que você nem imagina e aproveitá-las plenamente exige experimentação. É complicado falar de “algo novo”, porque o novo depende de quem vivencia. Acho que é a nova forma de olhar que conta mais.

Pessoalmente falando, foi emocionante a primeira vez que fui ao Bosque dos Pássaros, no Setor Sul. Fui com uma amiga, em 2014, depois de ler uma reportagem na “Superinteresssante”, sobre os “jardins secretos do Setor Sul”. Cada grafite que via era uma emoção. Depois, fomos entrando de beco em beco e era como se desvendássemos um segredo maravilhoso. Minha vontade era dividir aquela sensação com todo mundo que eu conhecia. Foi a mesma coisa quando fui ao Bacião. Aliás, se não conhece… Tire uma tarde de domingo para apreciar. Trata – se de uma baita galeria de arte!

Boa Vida Online – Há quanto tempo o projeto está no ar?

Paula Falcão – O projeto existe desde dezembro de 2014.  Nossa nova fase, não mais apenas como um projeto, mas sim como uma empresa que gera conteúdo de qualidade, começa oficialmente em fevereiro de 2017, com o lançamento do site, canal no Youtube com produções semanais, redes sociais ativas e muitas outras novidades. Por enquanto, as pessoas podem acompanhar nossa trajetória e ajudar na evolução do Aproveite a Cidade por meio do Instagram @aproveiteacidade.

Boa Vida Online – Qual lugar em Goiânia você indica, para quem deseja conhecer melhor a cidade?

Paula Falcão – A verdade é que todo mundo tem algo legal para mostrar sobre a cidade. O pastel da feira, um árabe no seu bairro – como o que eu amo em Campinas – um bouganville que fica hiper-florido em uma pracinha e, se você quiser, dá até para ler um livro por ali mesmo. O que indico para todo mundo é tentar se sentir turista na própria cidade. Clichê, mas funciona. A gente dá um novo valor para a experiência, se permite experimentar, desfruta mais, tem até mais paciência.

Comentários