Consumo de álcool e Gota, com a Reumatologista Fábia Mara

Certamente você já deve ter ouvido falar em “Gota”. Mas só quem tem aumentada a taxa de ácido úrico, sabe exatamente do que se trata esse tipo de artrite. Seja por meio de episódios repetidos (gota crônica), ou, ocorrendo de forma repentina (gota aguda). Sem aviso algum, principalmente ao anoitecer, esse é um mal que causa bastante incômodo.

Consumo de álcool e Gota - artrite - ácido úrico - boa vida online

Consumo de álcool e Gota

Em um diagnóstico de Gota, há relatos de dor intensa nas articulações dos pés, tornozelos, joelhos, mãos e pulsos. O período crítico acontece durante as primeiras 24 horas. Porém, algum desconforto  pode durar até algumas semanas. Em algumas pessoas,  há uma espécie de descamação da pele, com tofos (carocinhos), ao redor das articulações.

Quando a gota se torna crônica, há riscos de lesões e de perda de movimentos. Além disso, a dor nas articulações, passa a  ser constante. Tudo isso, porque pessoas “gotosas”, sofrem de um tipo de artrite, caracterizada pela elevação de ácido úrico no sangue. A dor e a inflamação ocorrem quando esse ácido úrico se cristaliza e se deposita nas articulações.

Não tem jeito, quem sofre de “Gota“, precisa mudar de vida. Só assim, evita-se as crises e facilita-se o tratamento. Não é bom que o problema se agrave. No entanto, a principal razão de trazer esse assunto ao Boa Vida Online, é esclarecer sobre o consumo de álcool, em pacientes com gota. Infelizmente, a Reumatologista Fábia Mara não tem uma boa notícia para os “gotosos” que apreciam um drink. Veja o que ela me disse:

Consumo de álcool e Gota, com a Reumatologista Fábia Mara

Bebidas fermentadas têm a fama de vilãs, para aqueles que sofrem de Gota. Porém, deve-se levar em consideração a quantidade ingerida, se comparadas às destiladas. Deve-se restringir o uso de qualquer tipo de álcool, principalmente durante a crise

Aurélia Guilherme – Todas as bebidas alcoólicas aumentam a taxa de ácido úrico no sangue?

Dra. Fábia Mara – Toda bebida alcoólica pode desencadear a produção excessiva de ácido úrico no sangue. Isso vale, tanto as fermentadas, quanto as destiladas. As bebidas fermentadas, como a cerveja, por exemplo, dão uma falsa impressão de que sejam mais indutoras das crises de gota, do que as bebidas destiladas. Porém, devemos guardar as devidas proporções da quantidade ingerida. A cerveja é, muitas vezes, considerada pior, pela maior quantidade ingerida.Para cada copo de destilado, geralmente, se bebe muito mais de fermentado. Um bebedor de cerveja bebe uma, duas ou mais garrafas desse tipo de álcool, do que um bebedor de uísque ou vinho, por exemplo.

Mas, o fato é que, tanto as bebidas destiladas, quanto as fermentadas, podem aumentar os níveis de ácido úrico no sangue. Este pode ser o gatilho para desencadear uma crise de gota, naquelas pessoas que têm predisposição ao problema.

Consumo de álcool e Gota - artrite - ácido úrico - boa vida online - Reumatologista Fábia Mara

Dra. Fábia Mara – Reumatologista, CRM – GO 5827

Aurélia Guilherme – Quais as consequências do excesso de ácido úrico no sangue?

Dra. Fábia Mara – Parte deste ácido úrico é eliminado pelos rins e parte se mantém no sangue. Caso haja excesso na sua produção ou dificuldade na sua eliminação, são formados cristais de ácido úrico que podem se depositar na pele (os chamados tofos), nos rins ( cálculo renal) e ao redor das articulações (crises de Gota).

Aurélia Guilherme – Quais os sinais de aumento de ácido úrico no sangue?

Dra. Fábia Mara – Não há sinal específico deste aumento no sangue. Somente os sintomas de cada órgão afetado pelo depósito de cristais. O diagnóstico é feito, quando avaliamos uma pessoa com hábitos alimentares inadequados. A Gota também pode ser descoberta através da investigação de distúrbios metabólicos, acomo diabetes ou excesso de gorduras (colesterol, triglicérides). Para quem tem cálculos renais de repetição ou sente dor e apresenta edema (inchaço) articular em crise, sempre investigamos a dosagem do ácido úrico.

O diagnóstico definitivo da Gota só é possível mediante a punção do líquido presente na articulação inflamada e verificação da presença dos cristais de ácido úrico.

Aurélia Guilherme – Só para finalizar e não deixar dúvidas: Quem tem gota pode beber?

Dra. Fábia Mara – É importante evitar o consumo de bebidas alcoólicas e alimentos ricos em ácido úrico durante uma crise aguda de gota. A ingestão de bebida alcoólica, inclusive a cerveja, dificulta o tratamento de uma crise já instalada, ou, faz desencadear nova crise.


“Devemos lembrar que o mais importante é manter controlado o nível de ácido úrico nos intervalos das crises. Isso deve ser uma constante e, não apenas tratar a crise aguda. Evite excesso de bebida alcoólica e siga uma boa orientação dietética. Além disso, controle as possíveis doenças associadas, como obesidade, hipertensão arterial, dislipidemia ou diabetes.”


Conselhos valiosos 

Consumo de álcool e Gota - artrite - ácido úrico - boa vida online “Quem tem gota pode perfeitamente ter uma vida normal. Basta que se evite as repetidas crises agudas, que podem cronificar a gota. A mudanças de hábitos rotineiros são importantes. Basta não se esquecer de que os cálculos renais estão na rota das possibilidades, em que tem taxas altas de ácido úrico no sangue. E, para piorar mais um pouquinho, depósitos de ácido úrico no sangue podem levar à insuficiência renal crônica.

Portanto, mudanças na dieta e no estilo de vida são fundamentais:

  • Evite álcool;
  • Reduza a quantidade de alimentos ricos em purinas, que podem elevar o ácido úrico e causar gota. Anchovas, sardinhas, óleos, arenque, vísceras (fígado, rim e moelas), leguminosas (feijões e ervilha), caldos de carne, cogumelos devem ser evitados. Espinafre, aspargos, couve-flor e fermento ou levedura de cerveja são outros itens que devem ser restritos.
  • Limite a quantidade de carne ingerida em cada refeição;
  • Evite comidas gordurosas, como molhos para saladas, sorvete e frituras;
  • Coma uma quantidade suficiente de carboidratos;
  • Se estiver de dieta, emagreça lentamente. A perda rápida de peso pode provocar a formação de cálculos renais de ácido úrico.”

#gota #ácidoúrico #crisedegota #reumatologia #drafabiamara #consumodeálcoolegota #boavidaonline #aureliaguilherme #boavida

Comentários