Cuidados com cães idosos, com o veterinário Rogério Fortes

Nossos companheiros também envelhecem e precisam de uma atenção especial com a saúde e higiene. Você que ama seu amigo vai querer saber quais são cuidados com cães idosos que nós devemos ter!

Cuidados com cães idosos são importantes para garantir saúde e qualidade de vida

Os cães podem ser considerados idosos, em média, a partir dos 8 anos de idade

A idade chega para todos. Com nossos bichinhos de estimação não é diferente. Cães e gatos também envelhecem. Pensando nisso, Boa Vida Online conversou com o veterinário Rogério Fortes sobre a terceira idade canina. Veja o que fazer para que o seu animalzinho curta a velhice com saúde e qualidade de vida!

Cuidados com cães idosos

Cuidados com cães idosos ensinados pelo veterinário Rogério Fortes

Rogério Fortes, Veterinário, CRMV – GO 2767

Aurélia Guilherme – Quando os cães passam a ser considerados idosos? Para fazer essa definição, é preciso levar em conta, fatores como a raça ou o porte do animal?

Dr. Rogério Fortes – Os cães passam a ser considerados idosos a partir dos oito anos de idade, em média. Contudo, cães de grande porte são considerados idosos mais cedo do que os de pequeno porte. Isso por conta de seu metabolismo mais lento. Quanto à expectativa de vida, os cães de maior porte têm menos tempo de vida. Eles vivem, em média, de 9 a 12 anos. Os pequenos entre 12 e 16 anos.

Aurélia Guilherme – Quais são os principais sinais de velhice nos cães?

Dr. Rogério Fortes – Cada raça apresenta particularidades individuais. Mas, em geral, um dos primeiros sinais é a diminuição da atividade física pelo próprio animal. Ele deixa de se exercitar, de brincar… Alguns até diminuem o apetite, devido a alterações na arcada dentária. Também podem se tornar menos atentos aos estímulos externos, como os sons de campainha, a chegada de visitas à residência. Esses são alguns dos sinais.

Aurélia Guilherme – Quais as doenças mais comuns nessa fase da vida do cão?

Dr. Rogério Fortes – Algumas doenças podem ser consideradas bem particulares de cada raça, ou mesmo de cada porte de cão. Mas neoplasias e alterações articulares estão entre as alterações mais comuns, independente do porte do animal. Raças do grupo dos braquicefálicos (cães de focinho curto, como Shit-Tzu, Pug e Buldogues) são predispostas a alterações oculares. Estas são alterações  que podem ocorrer em qualquer fase da vida, mas que na velhice se intensificam. E, infelizmente, pode levar até a perda da visão. Outras raças, como o Schnauzer e o Dálmata, têm predisposição a patologias de trato urinário. Quer dizer, cada raça tem sua particularidade. Precisamos conhecer para termos os devidos cuidados com cães idosos.

Cuidados com cães idosos: ração seca ajuda a evitar tártaros

Os cuidados com a alimentação ajudam a evitar tártaros

Aurélia Guilherme – Pensando nos cuidados com cães idosos, omo evitar a perda dos dentes?

Dr. Rogério Fortes – Os cuidados com a cavidade oral dos cães devem começar desde cedo. O acúmulo de tártaro pode prejudicar a alimentação e predispor a inúmeras infecções. Podem ocorrer desde gengivites (infecção nas gengivas) até pericardites (infecção da membrana do coração) e meningites (infecção da membrana nervosa).

O melhor para evitar ou retardar ao máximo a presença do tártaro dentário é manter uma alimentação adequada. Essa alimentação deve ser ração seca que promove o atrito com os dentes. Efeito também possível com os petiscos apropriados à limpeza mecânica. A escovação também ajuda bastante, desde que seja diária. Deixar para escovar os dentes do cão somente no dia de banho não contribui para prevenção.

Quando a presença do tártaro já for intensa, causando halitose e desconforto ao animal, busque ajuda. Deve-se procurar ajuda veterinária para o tratamento periodontal.

Leia também: Cuidados com gatos idosos

Aurélia Guilherme – Como deve ser a alimentação do cão idoso?

Dr. Rogério Fortes – A alimentação de um animal idoso vai depender muito da saúde dentária de cada um. Existem animais considerados idosos que conseguem se alimentar com qualquer tipo de ração. Mas hoje já é possível encontrar no mercado rações para cada fase de vida, de filhotes a sênior. Da mesma maneira, encontra-se rações consideradas terapêuticas, recomendadas para animais com doenças crônicas especificas. A exemplo das doenças renais, cardíacas, hepáticas e diabetes.

Cuidados com cães idosos

Neste clique, Mateus Blanche e seu Bandit, um cachorrinho que viveu por mais de 18 anos. E viveria muito mais, caso sua queda nas piscina não tivesse sido fatal!

Aurélia Guilherme – Nessa fase da vida, as visitas ao veterinário devem ser mais frequentes? Qual é a sua recomendação?

Dr. Rogério Fortes – Um cão idoso dever ser acompanhado mais de perto pelo veterinário. Até mesmo para que ele tenha uma melhor qualidade de vida nesse fase. As visitas devem ser realizadas pelo menos a cada seis meses. Assim, pode-se realizar um avaliação completa e detalhada do paciente idoso. Muitas doenças são evitadas, ou mesmo amenizadas, nos casos de doenças crônicas, durante esses acompanhamentos.

Aurélia Guilherme – Os passeios com o cão idoso podem continuar? É preciso ter especiais cuidados com cães idosos nesse sentido?

Dr. Rogério Fortes – O lazer é essencial para nós e para os cães também. Por isso, continuar com as caminhadas, brincadeiras e estímulos é fundamental para uma boa saúde. Claro que, no caso do animal idoso, devemos seguir o “ritmo” deles. Eles nos mostrarão, com suas atitudes, seu cansaço ou disposição e até onde podemos estimulá-los.

“Na velhice, os animais necessitam ainda mais de atenção e de carinho por parte dos proprietários. Alguns podem apresentar depressão e ansiedade, principalmente aqueles que são ‘filhos únicos’. Nunca devemos nos esquecer que o animal é totalmente dependente de seu proprietário. Então, assim como qualquer idoso, ele tem uma necessidade maior de atenção. Mesmo que seja deitar aos pés de seu dono e sentir sua presença!”

#boavida #boavidaonline #blogdaaurelia #caesidosos #cuidadoscomcaesidosos #veterinario #rogeriofortes #bichosdestimacao #caes #amordequatropatas #envelhecimentocanino #caesidosos #medicinaveterinaria

Comentários