Dificuldades para engravidar – Coito programado e inseminação artificial, com o ginecologista e obstetra Corival Castro

Muitos casais passam por dificuldades, quando decidem engravidar. Um sinal dos tempos modernos. As mulheres têm que correr contra a idade e se preocupar com sua fertilidade já aos 30 e poucos anos. Para muitas, isso se torna um conflito. Ainda é cedo para engravidar, porém, começa a ser um problema para o relógio biológico. Mas, por conta dos projetos profissionais, muitas vão adiando e a fertilidade,  naturalmente, diminui. Além dessas naturais dificuldades para engravidar, endometriose, infecções pélvicas, obstrução tubária, oscilações hormonais são também dificultadores de uma gestação. A fertilização no homem diz respeito aos espermatozoides, que podem estar em baixo número e com problemas de motilidade. Outras causas são as consequências da varicocele, vasectomia, doenças crônicas, alterações hormonais, entre outros.

Dificuldades para engravidar - Coito programado e inseminação artificial, com o ginecologista e obstetra Corival Castro

Mulheres modernas, quase sempre são multitarefadas e adiam, o quanto podem, a 1a gestação. As dificuldades para engravidar passam pelo relógio biológico. Especialistas em reprodução humana têm algumas saídas que podem ser a solução

Dificuldades para engravidar

O fato é que não há necessidade de sofrimento antecipado. A medicina reprodutiva tem um alcance muito interessante para casais com dificuldades para engravidar. Certamente, existem muitas respostas em um campo investigativo sobre a fertilidade. Se o casal começa a enfrentar problemas, uma avaliação bem feita é recomendada. A seguir, o ginecologista e obstetra Corival Castro fala sobre coito programado e inseminação artificial. 

Vamos saber mais sobre os mais simples métodos de reprodução assisistida. Coito programado e inseminação artificial podem funcionar para muitos casais.

 

Dificuldades para engravidar - Coito programado e inseminação artificial, com o ginecologista e obstetra Corival Castro

O experiente ginecologista e obstetra Corival Castro, CRM – GO 4786 / RQE – 656, é apaixonado pela reprodução assistida. Boa parte de seus estudos e pesquisas estão em torno das causas que levam à infertilidade

Visite o perfil do ginecologista Corival Castro e leia também sobre:

Fertilização in vitro

Infertilidade e endometriose

Trombofilia na gravidez e o risco de aborto

Endometriose – A correta abordagem e tratamento do problema

Ovários policísticos

Aurélia Guilherme – O que se leva em conta, quando se avalia um casal com dificuldades para engravidar?

Corival Castro – Eu costumo recomendar que um casal sempre procure um especialista logo que decide engravidar. Uma avaliação inicial da fertilidade é importante, para que se evite perda de tempo. O médico vai avaliar antecipadamente a presença de doenças e de sinais de possíveis dificuldades para engravidar. Além disso, toma-se medidas preventivas para um início de gravidez saudável.

Aurélia Guilherme – Quando um casal deve procurar ajuda específica para engravidar?

Corival Castro – Em geral um casal deve procurar ajuda quando completar um ano de tentativas de engravidar sem sucesso. Esse período pode ser reduzido para 6 meses em mulheres acima de 35 anos. Casais que já sabem que podem ter dificuldades para engravidar devem, também, procurar ajuda depois de 6 meses de tentativas. O recomendável é que se procure um especialista em reprodução  para uma investigação mais aprofundada. Perder tempo que pode ser precioso em muitos casos. Mulheres portadoras de endometriose, ciclos irregulares, com cirurgias uterinas ou ovarianas prévias, doenças  endócrinas… Homens que tiveram caxumba ou traumas na bolsa escrotal, varicocele, são alguns exemplos de possíveis dificuldades para engravidar.

Dificuldades para engravidar - Coito programado e inseminação artificial, com o ginecologista e obstetra Corival Castro

A integridade, tanto do útero, quanto do endométrio faz parte da investigação da fertilidade 

Aurélia Guilherme – Para que uma ocorra uma fertilização, em que estado deve estar o útero e o endométrio da mulher?

Corival Castro – O útero e o endométrio precisam ser investigados. Eles precisam estar íntegros para que ocorra a fertilização. A presença de miomas, malformações, falta de crescimento adequado do endométrio e outros podem ser responsáveis por infertilidade.

Aurélia Guilherme – E com relação aos espermatozoides do homem?

Corival Castro – Uma avaliação dos espermatozoides com espermograma é recomendado. Porém, pode-se fazer um estudo do sêmen mais completo, realizado em um centro de medicina reprodutiva. Esses são procedimentos que nos dão uma boa indicação das possibilidades do homem em relação à gravidez.

O importante é saber que essas avaliações são para que seja feita uma previsão das chances de gravidez. Assim, é possível prevenir possíveis dificuldades por atrasos na tomada de condutas necessárias.

Coito programado

Dificuldades para engravidar - Coito programado e inseminação artificial, com o ginecologista e obstetra Corival Castro

Trompas normais e sêmen normal em casais com dificuldades para engravidar. O coito programado é o mais simples dos procedimentos da Reprodução Assistida para tratar problemas de infertilidade

Aurélia Guilherme – Qual o perfil de casal que é bem sucedido com o coito programado?

Corival Castro – O coito programado é um método útil para quando as dificuldades para engravidar são pequenas. Eu diria que este é um método indicado para quem tem dificuldades de ovulação e infertilidade sem causa aparente. Esta é uma condição muito frequente. Para um coito programado eficiente, é necessário que a mulher estejam preparados. Ela precisa ter pelo menos uma trompa normal e ele, sêmen saudável, inicialmente. Também recomendo bastante esse método para casais que tem pouca frequência de relações sexuais. Há casais em que um dos cônjuges fica ausente de casa por vários dias.

Aurélia Guilherme – Como funciona o coito programado?

Corival Castro – O coito programado consiste na monitorização da ovulação, através da realização de acompanhamento seriado com ultrassom. Faz-se o exame logo após o término da menstruação. Depois repete-se a ultrassom a cada 1 ou 2 dias. Assim é possível verificar a presença da imagem de um folículo pré-ovulatório e da ovulação em seguida. Neste momento, o médico orienta a relação sexual a ser realizada no dia certo. O coito programado pode ser realizado em um ciclo natural, sem qualquer intervenção. Porém, pode-se provocar o ciclo, induzido a ovulação com medicamentos.

Aurélia Guilherme – Essa medicação induz maior produção de óvulos?

Corival Castro – Sim, os medicamentos podem induzir uma maior produção de óvulos. Por isso, devemos sempre monitorizar se esta produção está normal ou excessiva. É necessário tomar muitos cuidados. Não se deve fazer uso de nenhum indutor da ovulação, sem o correto acompanhamento. Por um lado, a medicação pode não estar fazendo efeito satisfatório e a paciente perder tempo e se frustrar. Por outro lado, pode acontecer uma maior produção de óvulos. Com isso, a paciente corre seríssimo risco de ter uma gravidez múltipla com 4, 5 ou mais gêmeos. A gravidez múltipla é um evento de altíssimo risco, tanto para a mãe, quanto para as crianças.

Aurélia Guilherme – Que medicação é essa?

Corival Castro – São vários os medicamentos indutores da ovulação. Eles podem ser administrados por via oral ou subcutânea. Para exemplificar eu digo que é da mesma forma que os diabéticos se aplicam a insulina. Não há qualquer dificuldade.

Aurélia Guilherme – O que acontece, quando se faz uso dessas medicações?

Corival Castro – Essas medicações estimulam o crescimento de folículos nos ovários. Cada folículo contém um óvulo que se desenvolverá e será expulso na ovulação e captado pela trompa. Assim ocorre a fecundação, que é o encontro do espermatozoide com o óvulo.

Aurélia Guilherme – Essas medicações trazem efeitos adversos?

Corival Castro – Em geral sua utilização se faz sem efeitos indesejáveis. Em casos raros, pode ocorrer a “síndrome do hiperestímulo”. Dor abdominal, náuseas, vômitos, ascite, até mesmo necessidade de atendimento de emergência com internação em UTI. Por isso nunca se deve – se praticar a auto-medicação. Ingerir essas medicações, só com acompanhamento especializado.

Aurélia Guilherme – Há alguma orientação à respeito das relações sexuais nesse período?

Corival Castro – Oriento um período de abstinência de 2 ou 3 dias, antes do coito programado ou da inseminação.

Aurélia Guilherme – O teste de gravidez pode ser feito depois de quanto tempo?

Corival Castro – O teste deve ser realizado 14 dias após o procedimento.

Aurélia Guilherme – Qual a taxa de sucesso com esse método?

Corival Castro – As taxas de gravidez por tentativa variam em cerca de 15%, a depender de cada caso. As vantagens desses métodos mais simples são o custo menor. Além disso, há maior facilidade de se repetir o procedimento, caso o resultado seja negativo.

Inseminação artificial

Dificuldades para engravidar - Coito programado e inseminação artificial, com o ginecologista e obstetra Corival Castro

A inseminação artificial está indicada nos casos de distúrbios de ovulação e alterações leves no sêmen. Este é também um dos tratamentos menos complexos da reprodução assistida. O sêmen é depositado diretamente na cavidade uterina através de um pequeno cateter durante a ovulação, induzida por hormônio

Aurélia Guilherme – Para que casos está indicada a Inseminação Artificial?

Corival Castro – Está indicada em todos os casos de infertilidade em que as tubas uterinas estejam preservadas. Se, pelo menos, uma dela estiver preservada, o método pode ser indicado. A qualidade do sêmen não pode estar afetada ou apenas levemente alterada.

Aurélia Guilherme – Na inseminação artificial, de que maneira os espermatozoides chegam no óvulo?

Corival Castro – A chegada dos espermatozoides ao óvulo se faz da forma natural, através das trompas. O sêmen é coletado, concentrado, selecionado e depois colocado dentro do útero, simulando um processo natural. O procedimento é realizado no dia da ovulação.

Aurélia Guilherme – Como é confirmada a ovulação?

Corival Castro – A ovulação é monitorizada por ultrassonografia que é realizada seriadamente a partir do começo do ciclo menstrual.

Aurélia Guilherme – Qual a complexidade desse tratamento?

Corival Castro – A inseminação artificial é classificada como um procedimento de baixa complexidade. A fecundação ocorre de forma natural. Os espermatozoides são depositados dentro do útero e penetram nas tubas uterinas. Eles se deslocam naturalmente nos fluidos que existem nesses locais. É uma verdadeira natação mesmo. A parte realizada pelo laboratório consiste na centrifugação, separação e concentração dos espermatozoides mais eficientes.

Aurélia Guilherme –  O que fazer, quando o homem não tem espermatozoides ou possui alterações cromossômicas?

Corival Castro – Nestes casos indica-se a doação de sêmen.

Aurélia Guilherme – Como funciona a doação de sêmen?

Corival Castro – Existem laboratórios que colhem e armazenam sêmen de doadores. Esses homens são pessoas saudáveis, submetidas a vários exames. É como se eles fossem doadores de sangue. A doação no Brasil é anônima. Por determinação legal os doadores não têm sua identidade divulgada. Porém, suas características são reveladas. Peso, altura, cor da pele, cor dos olhos, cor dos cabelos, tipo sanguíneo, profissão podem ser conhecidas e selecionadas.

Aurélia Guilherme – Até quantos ciclos de Inseminação podem ser realizados?

Corival Castro – Não existe uma normativa que restrinja o número de repetições. Porém, estudos têm mostrado que 3 ou 4 tentativas são suficientes para que se consiga a taxa máxima de gravidez. Na falha deste método, deve-se mudar o procedimento para uma fertilização in vitro.

Aurélia Guilherme – Quais as chances de gravidez de gêmeos ou trigêmeos?

Corival Castro – A incidência de gêmeos na população geral é de 1%. Nos casos de inseminação artificial, essa frequência aumenta para 20%. O  tratamento, porém, é conduzido com todo o cuidado, para que se diminua ao máximo a probabilidade de gêmeos.

#reproduçãoassistida #reproduçãohumana #coitoprogramado #inseminaçãoartificial #endometriose #dificuldadesdeovulação #dificuldadesdeengravidar #fertilidade #infertilidade #sêmen #óvulos #óvulos #gestação tardia #bolsa escrotal #varicocele #drCorivalCastro #ginecologiaeobstetrícia#AuréliaGuilherme #JornalistaAuréliaGuilherme #BoaVidaOnline #BoaVida #gravidez #bebê

Dificuldades para engravidar - Coito programado e inseminação artificial

Um tratamento responsável de reprodução assistida deve ser conduzido com cautela para evitar ao máximo, a fertilização de gêmeos

Comentários