Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha – A saúde dos cabelos, com a dermatologista Lorena Dourado

Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha

Em nome da beleza, nós “pintamos e bordamos” com os cabelos! Muita química, calor em excesso… Não é atôa, que eles perdem o brilho e se quebram com facilidade. Mas, os cabelos enfeitam o rosto e precisam estar bonitos para emoldurar a beleza. Nossa consultora em cabelos, a dermatologista Lorena Dourado, nos envia explicações importantes, para que possamos atenuar os maus tratos.

Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha - A saúde dos cabelos, com a dermatologista Lorena Dourado

A proteína que o cabelo possui, nada mais é, do que a queratina, que confere resistência e elasticidade ao fio. Tinturas e produtos alisantes, entre tantos outros químicos, abrem as cutículas dos fios e os tornam frágeis.

A saúde dos cabelos

Cabelos macios, saudáveis e brilhantes exigem mais do que bons produtos. Uma alimentação balanceada, rica em nutrientes é fundamental para a saúde dos fios. Pessoas desnutridas têm cabelos opacos e enfraquecidos, por isso os cuidados com a alimentação devem ser redobrados, não sendo aconselháveis perdas de peso bruscas e dietas sem proteína.

Vamos às orientações da dermatologista Lorena Dourado:

Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha - A saúde dos cabelos, com a dermatologista Lorena Dourado

Dra. Lorena Dourado CRM – GO 11663 – Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. Formação em Tricologia (ciência que estuda o cabelo) pela Faculdade de Medicina do ABC e pela USP. Residência Médica em Dermatologia pela UFG

“Uma pessoa adulta possui cerca de 3 milhões de fios capilares. Eles nascem, crescem e caem após um ciclo, que dura de dois a seis anos. A velocidade de crescimento dos fios, em uma pessoa saudável, é de cerca de um centímetro por mês. O cabelo cresce em qualquer pessoa, porém a duração do seu ciclo é que pode ser mais curta. Por isso, algumas pessoas se queixam de que o cabelo não cresce, como elas gostariam. É que, nesses casos, os fios caem antes de ficarem longos. Fatores genéticos, doenças sistêmicas, medicações, idade, sexo e raça também influenciam no crescimento dos cabelos”.

Efeito do Formol

“A maior parte da composição do cabelo é de queratina (proteína), que confere resistência e elasticidade ao fio. A camada mais externa do fio chama-se cutícula. Quando está íntegra, consegue proteger os fios das agressões externas (sol, poluição, cloro).

Os produtos químicos (tinturas, formol, alisamentos) e o hábito de usar secador quente e chapinha destroem a cutícula e expõem os fios as agressões externas. As escovas progressivas, com o intuito de devolver o brilho perdido pelos maus tratos à cutícula, se utilizam do formol em altas concentrações.

Efeito maçã do amor

Mas essa substância não é alisante, apenas forma uma camada dura sobre o cabelo. Assim, como na caramelização de uma “maçã do amor”, por fora o cabelo está alisado e bonito, mas estragado por dentro. A alta concentração do formol (geralmente mais de 20%) é muito irritante e pode provocar alergia no couro cabeludo.

Além disso, o fato do formol se volatilizar (transformar-se em gás), gera riscos cancerígenos para quem o aspira. Outras substâncias químicas que funcionam como alisantes são à base de bissulfito de amônio, tioglicolato, hidróxido de sódio, hidróxido de potássio, hidróxido de guanidina e hidróxido de lítio. As escovas alisantes com tioglicolato em pequena concentração são menos agressivas para os fios e podem ser repetidas a cada três ou quatro meses”.

Condicionadores e Máscaras

“Os condicionadores devem ser usados no dia a dia, tanto os com enxágue, quanto os do tipo leave-in. Eles recobrem superficialmente a cutícula e facilitam o desembaraçar dos fios. Já as máscaras capilares conseguem penetrar na cutícula do fio, que ganha maior espessura e força. Ambos têm um papel importante nos cuidados com os cabelos. Esses produtos tratam a cutícula dos fios, responsável por deixar os cabelos com brilho, sedosos e sem frizz. Também é aconselhável usar uma vez por semana ou quinzenalmente algum xampu anti-resíduo para limpar as escamas da cutícula”.

Cabelos brancos

Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha - A saúde dos cabelos, com a dermatologista Lorena Dourado

Tem gente que sai arrancando os fios brancos. Eles nascem brancos novamente. Ainda não há solução que reverta esse processo. Só há dois caminhos: Tintura ou…aceitar, que dói menos!

“Dentro do fio encontra-se também a melanina, pigmento responsável por dar a cor aos cabelos. Quanto mais melanina o fio tiver, mais escuro é o tom do cabelo. Cabelos brancos são fios que perderam o pigmento com o envelhecimento. Acredita-se que exista uma quantidade limitada de pigmento, que vai sendo consumida com o passar da idade. Porém, este é um processo que pode ser acelerado por doenças que afetam a raiz dos cabelos.

Uma vez branco…

A época de aparecimento dos cabelos brancos varia individualmente e tem caráter familiar e racial. Não adianta arrancar os fios brancos, pois eles vão nascer novamente da mesma cor. É um mito dizer que ‘arrancando um fio branco nascerão sete outros no lugar’. O que ocorre é um aumento gradual do número de fios brancos com a idade.

Para quem assume o visual grisalho, os cuidados devem ser redobrados. O fio branco está mais susceptível às variações climáticas. O sol forte e pode deixa-lo um pouco amarelado. Deve-se, portanto, manter os cabelos sempre bem hidratados e protegidos do sol. Alguns xampus realçam os brancos e os deixam mais brilhantes.

E para aqueles que preferem escondê-los, as tinturas são a melhor saída. Existem vários tipos de tinturas:

Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha - A saúde dos cabelos, com a dermatologista Lorena Dourado

Os diversos tons de vermelho estão na moda. Porém, é bom que se saiba que as tinturas são muito agressivas. Elas abrem as cutículas dos fios para impregnar de cor a queratina presente no cabelo. Depois disso, a cutícula nunca mais se reconstituirá. Os cuidados com os fios devem ser redobrados

• As Graduais

São aquelas que vão cobrindo os fios brancos aos poucos. A cada nova aplicação, elas vão oferecendo melhor cobertura. Elas têm tonalidades que vão do castanho-claro ao escuro. Essas tinturas são corantes metálicos, que se depositam na superfície capilar. Por isso, não podem estar associadas a outras técnicas químicas, pelo risco de quebrar e danificar o fio.

• As Temporárias

São uma espécie de camuflagem ou maquiagem para o cabelo. São retiradas com uma única lavagem. Geralmente em forma de spray, como as tinturas feitas para as fantasias de carnaval e festas de crianças.

• As Semipermanentes

Essas podem ser do tipo henna ou tonalizantes. Saem na medida em que se lava o cabelo (cerca de 10 lavagens). Ideal para quem tem até 30% dos cabelos brancos.

• As Permanentes

São as tinturas propriamente ditas. Não saem com as lavagens, somente com o crescimento do fio. Mais agressivas, uma vez que abrem a cutícula para penetrar no fio e impregnar de cor a queratina presente no cabelo. Depois disso, a cutícula não será mais reconstituída totalmente e o fio ficará mais frágil podendo se quebrar com mais facilidade, principalmente se for submetido a outras agressões. Os cremes condicionadores, que normalmente vêm junto com as tinturas amenizam um pouco os danos. Eles ajudam na hidratação do cabelo.

Como as tinturas possuem vários componentes que induzem ao aparecimento de alergias, recomenda-se que se faça um teste na pele e no cabelo. Aplica-se um pouco do produto em alguma área escondida do couro cabeludo e do cabelo. Caso a alergia apareça, suspenda o uso da tintura e procure um médico dermatologista. Lembrando que não é recomendada a realização de tinturas em gestantes, conforme as orientações da ANVISA”.

Caspa

“Quanto à caspa, esta é uma das manifestações da Dermatite Seborréica, uma doença inflamatória que acomete regiões ricas em glândulas sebáceas. Pode ocorrer, não só no couro cabeludo, mas em outras partes do corpo, como no rosto e no peito. Tem predomínio de ocorrência em homens. É recorrente, crônica e não contagiosa. Sua causa é desconhecida.

Ocorre uma mudança no tipo de óleo produzido no couro cabeludo, por fatores genéticos. Isso leva a uma proliferação de fungos e a uma inflamação local. Tensão emocional pode agravar o problema, bem como o alcoolismo e algumas doenças neurológicas. O tratamento depende da gravidade do quadro. Pode ser feito, na maioria dos casos, com xampus antifúngicos (anti-seborréicos).

O problema é que esses xampus, geralmente ressecam o cabelo com a frequência do uso. Isso justifica a aplicação de cremes condicionantes nos fios (evitando aplicar diretamente no couro cabeludo). Dependendo do caso, medicamentos orais de efeito anti-inflamatório também são prescritos. Procure um dermatologista, para que este, faça seu diagnóstico e inicie seu tratamento da forma mais adequada às suas necessidades clínicas”.

Limpeza dos fios

“Os cabelos podem ser lavados, conforme a necessidade individual. A frequência ideal é aquela que deixa o couro cabeludo limpo. Se, com as lavagens frequentes, os fios ficarem ressecados, deve-se usar cremes condicionantes. Quanto maior a frequência de lavagens, mais fraco deve ser o xampu. Se tiver os cabelos oleosos, não use o condicionador em contato com as raízes. Use-o só nas pontas. A oleosidade ideal é aquela que se distribui pelos fios, cobrindo os cabelos sem se acumular no couro cabeludo.

A água quente, da mesma forma que resseca a pele, resseca o fio do cabelo. Procure lavá-lo com água mais morna ou fria. Lavar não aumenta a queda. O secador e a chapinha, devido a alta temperatura, podem dar bolhas difusas nos fios, piorando a qualidade destes. Evite-os. Se usar o secador, o faça o mais distante dos fios e com o ar, de morno para frio. Se usar a chapinha, passe antes nos fios, algum produto oleoso, como o silicone. Isso facilita o deslizamento do movimento e diminuir o tempo de contato entre o aparelho e o cabelo”.

Escova progressiva, tintura, caspa e chapinha - A saúde dos cabelos, com a dermatologista Lorena Dourado

Os diversos tons de loiro fazem a cabeça de muitas mulheres. Porém, excesso de química acaba com a saúde dos cabelos

“As escovas progressivas, com o intuito de devolver o brilho perdido pelos maus tratos à cutícula, se utilizam do formol em altas concentrações. Mas essa substância não é alisante, apenas forma uma camada dura sobre o cabelo. Assim como na caramelização de uma “maçã do amor”, por fora o cabelo está alisado e bonito, mas estragado por dentro”.

#boavidaonline #boavida #aureliaguilherme #saúdedoscabelos #saudecapilar #cabelos #dra. LorenaDourado

Comentários