Escova Progressiva Segura, com a Dermatologista Lorena Dourado

Dermatologista Lorena Dourado Goiânia

Dra. Lorena Dourado CRM – GO 11663 – Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia; Formação em Tricologia (ciência que estuda o cabelo) pela Faculdade de Medicina do ABC e pela USP; Médica responsável pelo ambulatório de Cabelos do Serviço de Dermatologia da UFG; Residência Médica em Dermatologia pela UFG; 

A escova progressiva é um dos tratamentos capilares mais requisitados dos salões de beleza. De fato, essa parece ser uma boa alternativa para quem não está satisfeito com os fios rebeldes ou ondulados. Porém, é necessário tomar alguns cuidados, antes de se submeter ao procedimento, entre eles, se certificar se o cabeleireiro tem especialização nesse tratamento, respeitar os intervalos entre os procedimentos e atentar – se para uma possível alergia. A seguir, Escova Progressiva Segura, com a Dermatologista Lorena Dourado, uma profunda estudiosa da saúde dos fios, confira:

escova progressiva cuidados Boa Vida Online – A escova progressiva apresenta algum risco para os cabelos?

Dra. Lorena Dourado – Sim, especialmente as escovas progressivas que contêm formol em alta concentração. O formol é um falso alisante, pois ele endurece o fio e dá um efeito no cabelo de “maçã do amor”, bonito por fora, estragado por dentro. Com o passar do tempo, os cabelos ficam mais fragilizados e se quebram com facilidade.

Além disso, as altas concentrações de formol, encontradas nos produtos de alisamento (geralmente mais de 20%), acabam irritando o couro cabeludo e ocasionando alergias. Essa é, também, uma substância cancerígena que, quando volatizada (se torna gás) e aspirada, coloca a saúde em risco, principalmente, para os profissionais que estão em contato frequente com esses produtos. A ANVISA permite o uso do formol em baixas concentrações, em até 2%, porém, nestas concentrações, ele não tem efeito “alisante”.

Boa Vida Online – As mulheres amam um cabelo liso e sedoso e, muitas, não abrem mão desse visual. Existe algum outro produto, que seja menos agressivo e que faça o efeito do formol?

Dra. Lorena Dourado – Sim, o ideal é que se faça a escova progressiva com algum outro produto, diferente do formol, ou de seus “derivados”. Já existem algumas escovas com produtos que, após a aplicação da chapinha, acabam se transformando em formol.

Além desse, existem outros tipos de alisamentos químicos, que se utilizam do bissulfito de amônio, tioglicolato, hidróxido de sódio, hidróxido de potássio, hidróxido de guanidina e o hidróxido de lítio. São produtos que exigem mais prática e conhecimento do profissional que os manipula. Mas, não tenha dúvida, esses são alisantes menos agressivos ao couro cabeludo e não oferecem risco para o profissional durante sua aplicação.

No entanto, antes de se submeter a qualquer tratamento químico no cabelo, recomendo que se faça um teste de mecha nos fios com o produto. Também sugiro que se faça um teste cutâneo, para prevenir as chances de alergia. O teste cutâneo consiste na aplicação de uma pequena quantidade do produto na pele, atrás da orelha, por exemplo. Caso apresente alergia, é preciso suspender o uso e procurar um médico dermatologista com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), para as devidas orientações e o tratamento adequado.

Jornalista Aurélia Guilherme escova progressiva segura

Uma vez por ano, a jornalista Aurélia Guilherme faz escova progressiva com a cabeleireira Leadarc da Silva, uma profissional capacitada a lidar com os cabelos de clientes muito exigentes.

Para manter os cabelos bonitos e saudáveis por mais tempo, meu conselho é usar apenas produtos liberados pela ANVISA, procurar profissionais devidamente capacitados e fazer um intervalo, de pelo menos, 4 meses, entre uma escova progressiva e outra.”

Boa Vida Online – Ressalvas à parte, quais os principais benefícios de uma escova progressiva segura? 

Dra. Lorena Dourado – Algumas pessoas, por terem o cabelo mais ondulado ou cacheado, acabam utilizando a chapinha todos os dias. O calor gerado pelo equipamento e o seu uso frequente podem gerar bolhas no fio do cabelo, deixando-o mais opaco e quebradiço. Nesses casos, é preferível fazer algum tipo de alisamento, com a intenção de reduzir o volume e evitar o dano térmico diário de uma chapinha. Lembrando sempre que o ideal é utilizar somente os produtos liberados pela ANVISA e  tentar espaçar o máximo possível uma aplicação da outra, com intervalos de cerca de 4 meses ou mais.

Boa Vida Online – Há quem faça escova progressiva em casa, sem técnica ou conhecimento algum. Quais os riscos de se realizar um tratamento como esse em casa? 

Dra. Lorena Dourado – Isso é absolutamente desaconselhável. Como já disse, a fumaça que sai do cabelo, quando  o secador ou a chapinha são aplicados, contém formol volatilizado, ou seja, em forma de gás, e, dependendo da concentração utilizada, pode ser cancerígeno. Além disso, existem alguns produtos que não podem ser aplicados em fios que já tenham sido submetidos à produtos químicos anteriores, pois isso pode resultar na quebra dos fios. Boa parte dos salões de beleza conta com profissionais treinados e capacitados para executar esse tipo de procedimento com segurança.

Boa Vida Online –  Quando procurar o Dermatologista? 

Dra. Lorena Dourado – Caso apresente qualquer tipo de coceira, inchaço e descamação excessiva ou prolongada do couro cabeludo, é preciso procurar um dermatologista com Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, para que ele avalie o quadro e inicie o tratamento adequado.

Comentários