Grávida e com câncer de mama

A maternidade é um momento único, pleno de felicidade. Nada deveria interferir nessa fase de espera de um bebê. O Câncer de Mama é o mais frequente entre as mulheres. Mas bem pior, é ter esse diagnóstico nessa fase de espera de um bebê. Grávida e com câncer de mama, e agora?

Grávida e com câncer de mama

Grávida e com câncer de mama

Engana-se quem pensa que o câncer de mama só acontece com mulheres maduras. Mulheres jovens e em plena idade reprodutiva estão sob risco. Grávida e com câncer de mama. Isso jamais passaria pela imaginação de uma mulher.

Fantasias negativas, medo de uma gestação difícil, e um possível sofrimento para o bebê… Um turbilhão de dúvidas e anseios surgem e tiram todo o brilho da gestação.  Essa entrevista tem o objetivo de dar respostas a essas mulheres. Aproveitamos para também falar para aquelas que já passaram por todo o processo de cura e desejam engravidar.

A seguir, a Mastologista Deidimar Abreu, nossa  consultora em saúde das mamas, fala sobre o assunto:

Leia também sobre:

Aconselhamento genético para pacientes que tenham familiares com histórico de câncer, AQUI!

Aurélia Guilherme – Grávida e com Câncer de Mama. Como resolver essa equação?

Dra. Deidimar Abreu – Esta é uma experiência que acontece com 1 de cada 1000 mulheres, segundo o INCA. Este é um desafio para as pacientes e para os especialistas. A maior dificuldade é quando este diagnóstico se dá no primeiro trimestre da gravidez. Este é um período em que acontece a formação do bebê. Após o primeiro trimestre de gestação, a paciente poderá se submeter à cirurgia ou até mesmo à quimioterapia. Claro que com o acompanhamento da equipe de acompanhamento do caso.

Aurélia Guilherme – Para aquelas que já se curaram do câncer de mama. A quimioterapia é reconhecida por sua agressividade ao organismo. Pós tratamento, essas mulheres teriam algum prejuízo ao sistema reprodutivo?

Dra. Deidimar Abreu – Hoje em dia existem vários métodos para preservação da fertilidade durante um tratamento de câncer de mama. Aquelas que desejam engravidar após um tratamento de câncer, um bom planejamento antes do início do tratamento quimioterápico é interessante. Cada caso é analisado, mas não há obstáculo algum à esse desejo.  Assim, orientamos sobre o melhor momento desta gravidez , para a segurança da paciente.

Grávida e com câncer de mama

Dra. Deidimar Abreu – Mastologia – CRM – GO 5822 .

Aurélia Guilherme – E qual é o melhor momento?

Dra. Deidimar Abreu – Cada caso tem sua peculiaridade. Algumas mulheres já estão próximas dos 40 anos. Outras têm até mais do que isso e desejam engravidar, por exemplo.

Elas não poderão esperar muito tempo. Assim, tudo é discutido com uma equipe multidisciplinar e decidido junto com a paciente.

Aurélia Guilherme – Em que condições, mulheres que passaram pelo Câncer de Mama conseguem amamentar?

Dra. Deidimar Abreu –  Na maioria das vezes, elas conseguem amamentar com a mama contra-lateral. No entanto, pacientes que fizeram mastectomia  não poderão amamentar com essa mama.

Já quando se faz a cirurgia conservadora é possível amamentar. Porém, devido a fibrose causada pela radioterapia, esta mama normalmente produzirá leite em menor quantidade do que a mama sem a doença.

 A gravidez não é motivo para se atrasar um diagnóstico ou mesmo um tratamento de Câncer. Com a ajuda de uma equipe multidisciplinar conseguiremos obter diagnósticos precoces e maiores chances de cura, mesmo a paciente estando grávida.”

#Grávidaecomcâncerdemama #mastectomia #fertilidade #gravidez #gestação #amamentação #cirurgiaconservadoradecâncerdemama #radioterapia #quimioterapia #mastologistaemGoiânia #BoaVidaOnline #AuréliaGuilherme #BoaVida

Comentários