Iluminação Natural na arquitetura, com a Arquiteta Camila Caetano

A iluminação natural e o seu uso em projetos arquitetônicos sempre foi algo bastante comentado. Mas, além da redução do consumo de energia, quais os benefícios a luz do dia a dia pode nos trazer? Para discutir o assunto, Boa Vida Online convidou a Arquiteta e Urbanista Camila Caetano, que nos explicou que pode nos trazer, até mesmo, benefícios físicos. Segundo Camila, a luz é considerada poderosa o suficiente para sincronizar ritmos endógenos, que vão desde características fisiológicas (níveis hormonais), até características comportamentais, podendo, além de sincronizar o relógio biológico, reduzir a depressão de inverno, estimular o cérebro e melhorar os estados de ânimo, nos trazendo a sensação de bem-estar. Confira a entrevista completa:

Boa Vida Online – Nos explique, por favor, como funciona a luz natural na arquitetura?

Iluminação Natural na arquitetura, com a Arquiteta Camila Caetano

Camila Caetano Feliciano é formada em Arquitetura e Urbanismo pela UEG-GO (2012) atualmente mestranda em Arquitetura pelo PROPAR – Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura na UFRGS – RS. Suas pesquisas têm foco na qualidade do ambiente construído, habitabilidade dos edifícios, percepção ambiental da iluminação e as influências no bem-estar dos usuários. CAU-GO n A83143-3

Camila Caetano – A luz natural é um meio altamente eficaz para redução dos custos de energia utilizada na iluminação elétrica e no resfriamento dos edifícios. Na história da arquitetura, a incorporação da luz natural aos edifícios estava mais relacionada com a construção de uma poética do espaço, por exemplo, muitas igrejas utilizaram o jogo da presença e ausência de luz na criação de ambientes mais misticos. Após os anos de 1970, com a crise energética iniciada nos EUA, a atenção para o aproveitamento de luz natural foi incorporado ao projeto do edifício, com o objetivo da redução dos altos custos com energia elétrica. Não é suficiente para a luz solar ser apenas poética – ela também precisa trabalhar e, é aqui que a análise da luz entra. A iluminação natural – ou artificial – constitui um elemento essencial da arquitetura. E, mesmo que imperceptível, molda significativamente o ambiente público, bem como as vidas privadas. A análise da luz natural costumava ser um processo vagaroso. Contudo, hoje em dia, os novos softwares de cálculo da iluminação natural permitem a tomada de decisão muito mais rápida, são mais intuitivas, acessíveis e estão integradas no ambiente 3D, tornando esta análise acessível para todos os arquitetos e disponível para qualquer tipo de decisão.

Boa Vida Online – Quais os pontos positivos desse tipo de iluminação? Você acredita que o maior benefício é a economia de energia?

Camila Caetano – A utilização da luz natural, através das janelas em edificações, pode ser justificada por inúmeras razões, entre elas está à qualidade da luz e a possibilidade de contato com o exterior, a conservação de energia, a redução de gastos, entre outros. Talvez o maior benefício conhecido pela população seja a economia de energia. No entanto, não acredito que seja o maior. Pesquisas realizadas na virada do século, pela medicina, descobriram que a luz ajuda na regulação do nosso relógio biológico. Sabe aquelas reportagens que ouvimos sobre pessoas noturnas, que trabalham melhor a noite e preferem acordar tarde? Tudo isso tem haver com esse relógio que todos temos no nosso organismo, e o maior regulador deste ciclo é a luz natural. A luz é poderosa o suficiente para sincronizar ritmos endógenos, que vão desde características fisiológicas (níveis hormonais), até características comportamentais, podendo, além de sincronizar o relógio biológico, reduzir a depressão de inverno, estimular o cérebro, aumentando a atenção (especialmente no final do turno de trabalho), e melhorar os estados de ânimo, humor e o bem-estar.

Boa Vida Online – Um projeto em que a iluminação natural é aproveitada de forma coerente, maximizando seu potencial e minimizando seu impacto pode criar um ambiente extremamente agradável?

Camila Caetano – Com certeza. A construção de um projeto de iluminação natural de qualidade para um ambiente é extremamente benéfica para os seus usuários. Doses diárias de luz do dia são benéficas à saúde, bem – estar e humor dos seres humanos e isso já está comprovado pela ciência.

Iluminação Natural na arquitetura, com a Arquiteta Camila Caetano

Representação gráfica da quantidade de luz nos ambientes de um edifício realizado no programa Design Builder. As áreas das janelas que estão mais iluminadas aparecem em tons mais quentes. Fonte: http://www.designbuilder.co.il/consultancy/

Boa Vida Online – Quais os tipos de projetos em que podemos aproveitar a iluminação natural? Casas, edifícios, construções comerciais…

Camila Caetano – Nós podemos e devemos aproveitar a luz natural em todos os tipos de edificações. Fora do país, muitos edifícios hospitalares têm utilizado a luz para ajudar na melhora dos pacientes.  A Maggie’s, instituição de tratamento e apoio ao câncer reconhecida no Reino Unido, inaugurou recentemente na cidade de Manchester, uma nova unidade que apostou na criação de um edifício acolhedor, organizado em um único andar com mezanino, e sem qualquer referência hospitalar, um espaço cheio de luz e vegetação.

Boa Vida Online – Existem tons diferentes de luz natural?

Iluminação Natural na arquitetura, com a Arquiteta Camila Caetano

Unidade da Maggie’s em Manchester no Reino Unido, exemplo de edificação com luz natural. Fonte: Casa Vogue

Camila Caetano – Sim, a luz, como descoberto pelo Isaac Newton,  é uma onda-partícula que é composta por diferentes tons de frequência visíveis a olho nu, variando do violeta para o vermelho. A luz do dia proporciona um espectro completo de cores, com as contribuições em todas as partes da gama de comprimentos de onda visível.  Ela varia em intensidade e muda ritmicamente ao longo do dia, apresentando três estágios. No primeiro estágio, ao nascer, a luz aparece num tom azul. No segundo estágio, depois do nascer do sol e antes do sol se pôr, produz uma iluminação de tom mais quente. No terceiro estágio, a cor da luz do dia muda de branco para quente, e depois novamente para branco.

Boa Vida Online – Quais as formas de se aproveitar a iluminação natural?

Camila Caetano – Adotando estratégias passivas e ativas. A priori, definir uma orientação solar apropriada na construção de edifícios novos é essencial. Ser cuidadoso com relação às alturas do edifício é a base para evitar o sombreamento excessivo dos edifícios próximos e até mesmo das diferentes alas da edificação. Mantenha as superfícies interiores dos ambientes com uma alta reflectância, para aumentar o nível de luz natural dentro do espaço. Use cores claras e foscas para melhorar o conforto visual e tenha cuidado com superfícies muito brilhantes, elas podem causar ofuscamento. É possível adotar também soluções de automação para quem pode investir mais. Para edificações já construídas ou para otimização de um pequeno espaço, invista nos elementos de controle (persianas, cortinas, blackouts, sistemas de automação, persianas automáticas, etc), ideais ao tipo de situação requerida (funções e atividades a serem exercidas no ambiente), e que se adaptem a entrada de luz no ambiente ao longo do dia .

Boa Vida Online – Existem desvantagens desse tipo de iluminação?

Camila Caetano – Sim, nada é perfeito, no entanto, os benefícios gerados são muito maiores. Luz demais também faz mal, pode causar fadiga ocular e ofuscamento, fatores que impedem a realização das atividades das pessoas nos ambientes. Deve-se estar atento ao fato de que a claridade e a escuridão são complementares.

Boa Vida Online – Qual a manutenção este tipo de iluminação requer?

Camila Caetano – A realização de um projeto voltado para o melhor aproveitamento da luz natural, no geral, vai requerer baixo custo de manutenção. A princípio, o desenho das dimensões e forma dos ambientes voltados para o aproveitamento da luz natural é realizado somente uma vez pelo arquiteto. Trabalhar com o melhor aproveitamento da luz natural não está relacionado, necessariamente, com o investimento em altas tecnologias. Para se proteger da alta intensidade e controlar as variações solares durante o dia, soluções simples são utilizadas, como a adoção de prateleiras de luz e elementos bloqueadores de luz na horizontal e na vertical. A escolha de vidros que têm melhor tratamento em relação ao coeficiente de ganho de calor, pode gerar um custo inicial maior, no entanto, requer baixa manutenção. Nesse tipo de escolha, é necessário certificar-se de que o isolamento térmico da moldura das janelas seja eficaz, a fim de evitar a perda de calor e a transmissão de luz para uma boa visibilidade. A adoção de janelas inteligentes com sistemas incorporados de sombreamento é muito interessante, mas ainda pouco difundida no Brasil, portanto é de alto custo. Por fim, de todas as formas, o ganho no baixo consumo de energia elétrica durante o dia e a melhora da qualidade ambiental interna é acessível e muito positiva.

Iluminação Natural na arquitetura, com a Arquiteta Camila Caetano

Variação da luz do sol ao longo do dia. Fonte: ZUMTOBEL

Comentários