Lifting Facial, com a Cirurgiã Plástica Cinthia Fonseca

Com a idade, a pele vai perdendo sua elasticidade e o seu vigor, tornando se flácida. A força da gravidade, por sua vez, age puxando o excesso de pele para baixo, formando vincos profundos entre o nariz e a boca. Além disso, com os movimentos frequentes da musculatura da face formam-se rugas na testa, ao redor dos olhos e em outras áreas do rosto. O Lifting Facial tem o objetivo de reverter parcialmente os sinais de envelhecimento. A temporada de férias se aproxima, excelente ocasião para um tratamento rejuvenescedor. Três perguntas sobre Lifting Facial para a cirurgiã plástica Cinthia Fonseca:

Dra. Cinthia Fonseca, Cirurgiã Plástica, CRM – GO 16-618.

Boa Vida Online – Não tão antigamente, a cirurgia plástica facial significava um grande trauma para o paciente. Os cortes eram grandes demais e apenas o excesso de pele era trabalhado. O que mudou?

Dra. Cinthia Fonseca Os novos conceitos tornaram o lifting facial, um procedimento bastante personalizado, preocupando – se muito mais com o reposicionamento das estruturas internas do rosto, como a gordura, os músculos e os ligamentos, do que exercer uma tração excessiva sobre a pele. Além disso, é interessante e de certa forma desejável, que o envelhecimento seja mais natural, porém, mantendo a suavidade nas linhas e contornos da face.

Boa Vida Online – A partir de que idade pode-se pensar em um Lifting facial?

Dra. Cinthia Fonseca – Não existe uma idade limite. Mas, a partir do momento em que a pele da face e do pescoço apresentam queda de suas estruturas, mesmo que ainda haja alguma elasticidade na pele, pode ser realizado o primeiro Lifting Facial. A faixa etária em que essa cirurgia é mais comum está entre 40 e 60 anos, mas nada impede que ela seja realizada aos 70 ou 80 anos.

Boa Vida Online – Como é o pós – operatório dessa cirurgia?

Dra. Cinthia Fonseca – Geralmente não há fortes dores no período pós-operatório. O tempo de internação varia de 12 a 24 horas. Em repouso, é interessante manter a cabeça ligeiramente elevada. E após 24 horas, deve-se ficar mais tempo sentada e em pé do que deitada, o que diminui o edema. São colocados curativos compressivos por três dias e um dreno atrás da orelha por 24 horas. Hematomas e edemas são comuns, mas desaparecendo progressivamente. Os pontos são retirados do 6º ao 10º dia, e as atividades cotidianas podem ser recomeçadas a partir do 15º dia. A exposição ao sol é liberada com limites após 30 dias, mas sempre com filtro solar.

Comentários