Medicamentos para Artrite Reumatoide

Dra. Fábia Mara Prates | Medicamentos para Artrite Reumatoide

Dias atrás, passou por mim, uma senhorinha com as mãos deformadas, em estado avançado de Artrite Reumatoide. Fiquei impressionada com suas dificuldades; consigo imaginar os transtornos dessa doença complexa, incapacitante, dolorida e progressiva. Me lembrei também, do maestro João Carlos Martins ao piano, com seus dedos entortados pela doença. Fiz contato com a Reumatologista Fabia Mara, nossa consultora no assunto, para falar da medicação que se usa, nos dias de hoje, na contenção da Artrite, já que não é possível reverter os danos já ocorridos. Artrite Reumatoide é o tema das três perguntas para a doutora Fábia Mara Gonçalves Prates de Oliveira:

Boa Vida – A Artrite Reumatoide é uma doença autoimune. O que isso quer dizer?

Dra. Fábia Mara Gonçalves Prates de Oliveira – Doença autoimune é aquela em que o sistema imunológico começa a produzir anticorpos que agridem o nosso próprio corpo. As células de defesa passam a funcionar desordenadamente e agridem outras células do próprio organismo, ao invés de protegê-lo. Mas é preciso que haja predisposição genética para o funcionamento inadequado do sistema autoimune. A artrite reumatoide é uma doença crônica, grave e debilitante, que provoca inflamação das articulações, envolvendo a membrana sinovial, responsável pela proteção, nutrição e deslizamento da cartilagem. Não se sabe exatamente o que desencadeia esta inflamação, mas este é um exemplo clássico de uma doença autoimune. Qualquer fator agressivo externo, como estresse, bactérias ou vírus pode ser o gatilho desta doença, que atinge várias articulações ao mesmo tempo, mas os locais de maior prevalência são as mãos e os punhos e, posteriormente, os pés, os joelhos, os tornozelos e os quadris.

Boa Vida – Quais são os medicamentos envolvidos no tratamento da Artrite Reumatoide?

Dra. Fábia Mara Gonçalves Prates de Oliveira – A artrite reumatoide é uma doença complexa e, por ser progressiva, crônica e incapacitante, deve ter sua evolução bloqueada para evitar sequelas. Ainda não se fala em cura, mas existem bons medicamentos que cumprem a função de bloquear a progressão da doença. O tratamento da artrite reumatoide envolve basicamente o uso de anti-inflamatórios, corticosteroides e as drogas modificadoras da doença. Os anti-inflamatórios têm a função de melhorar os sintomas até que as drogas modificadoras da doença, que têm ação lenta, estejam agindo. Por isso se faz a medicação associada. É importante lembrar que, se esses medicamentos forem usados inadvertidamente, os prejuízos podem ser desde uma gastrite até uma úlcera ou graves problemas renais. São medicamentos que devem ser usados na dosagem e no tempo certos.

Boa Vida – Quais as razões para tantos rigores?

Dra. Fábia Mara Gonçalves Prates de Oliveira – Os corticosteroides cumprem duas funções: agem nos sintomas e têm efeito modificador da doença, retardando discretamente a evolução do mal. A dosagem deve estar de acordo com o avanço do tratamento. O paciente deve ter constante acompanhamento médico, para que a doença esteja sempre sob avaliação. Estão previstos alguns efeitos adversos, como retenção líquida e, consequentemente, a sensação de inchaço, com aumento de peso e surgimento de pêlos, porque corticoides são um anti-inflamatório hormonal. Usados de maneira correta são um excelente medicamento; usados de maneira errada causam muitos efeitos colaterais e danosos, como um potente veneno. Seu uso prolongado merece complemento nutricional, com reposição de cálcio, dieta balanceada e atividade física, dentro das necessidades de cada paciente. Das drogas consideradas modificadoras da doença, existem outras medicações com ação imunossupressora. São drogas que detêm a formação do fator reumatoide, que é o anticorpo que agride a membrana sinovial, mas podem interferir nas células de defesa do corpo, se usadas inadequadamente. Por isso, é muito importante que a medicação seja bem indicada, respeitando o grau de evolução da doença e a tolerância do paciente. Existem também outras drogas modificadoras da doença e que interferem na sua progressão, algumas consideradas imunomoduladoras e outras imunossupressoras.
E os medicamentos que atuam em sinais intracelulares, os chamados medicamentos biológicos, com os anti_TNF α, anti CD20 e outros. Eles promovem um bloqueio da doença (do sistema autoimune), agindo mais precocemente e de forma bem ativa, bloqueando o anticorpo antes de ele se transformar em um inimigo. Esses medicamentos são mais potentes (também são modificadores da doença), mas têm efeitos colaterais, assim como todos os outros, pois interferem no sistema imune e devem ter acompanhamento constante do médico. O controle e a eficácia da medicação são determinados por exames clínicos e laboratoriais, adequando dose e tempo de uso a cada indivíduo. A artrite reumatoide precisa ser bloqueada, alguns pacientes tratam apenas os sintomas e, quando percebem, já houve perda de movimento, com erosão. Essa doença está em constante evolução. Se tem dor, é preciso saber a razão e trata-la corretamente, evitando as sequelas, que são, na maioria, irreversíveis na artrite reumatoide.

Comentários