Moda e Estilo, com Violeta Naya

Violeta Naya é atitude dos pés à cabeça. Suas coleções de roupas e acessórios, são cheias de estilo e se preocupam com um consumo consciente. Definitivamente, Violeta Naya é única.

A maravilhosa Violeta Naya sublima estilo por onde passa. Também pudera, para quem cria roupas, explorar o próprio interior em vestimentas e acessórios peculiares já é uma grande inspiração, mesmo que de maneira indireta. Foi a partir das próprias percepções pessoais que a goiana, de 27 anos, uniu uma série de sensações, texturas e cores para desenvolver sua marca – Naya Violeta, roupas e acessórios com produções de pequenas séries, voltadas para um consumo mais consciente. Além das criações das coleções com grades específicas, a charmosa Naya também atende clientes, com peças sob medida, totalmente exclusivas. Seu mais novo projeto, foi o desenvolvimento do figurino de “Aparecidas”, espetáculo de dança, como intervenção urbana, que acontece pela cidade até o dia 13 de julho. Boa Vida Online foi entender um pouco mais da correria dessa mulher de fibra, que transpira arte. Sem dúvida, só de olhar pra ela, seus olhos se encherão de amor e cor.

Boa Vida Online – Há quanto tempo você respira moda?

Violeta Naya – Acho que nasci com essa influência familiar de amor pelos tecidos. Desde pequena, percorria o bairro Campinas, em Goiânia, com minhas tias, e ainda menina, não entendia como tecido virava roupa. Quando finalmente entendi a beleza que mora num tecido e as múltiplas coisas que ele pode se tornar, passei a respirar essa energia de transformar uma coisa em tantas outras.

Boa Vida Online – Conte-nos um pouco sobre a sua trajetória no mundo da moda e essa veia artística fortíssima?

Violeta Naya – Meu processo criativo vem de muita inquietude. São tantas coisas que passam dentro de mim, que o melhor jeito é produzir sentidos e costurar, sempre contando histórias. Me formei na Universidade Estadual de Goiás, em 2010, e já saí de lá vendendo minhas próprias peças, entendendo que era realmente isso que me roubava o sono e me fazia querer sempre mais.

Em 2014, entendi melhor os rumos que meu trabalho tinha tomado. Tive um frio na barriga, com o convite para abrir o GO Fashion, um evento notório da moda goiana, que teve uma repercussão muito positiva. Logo vieram novos clientes, que me pediram mais posicionamento da marca e do meu produto. De lá pra cá, tenho trabalhado intensamente, para que, cada coleção, possa transbordar todo es essa agonia e amores que tenho nos meus processos pessoais. Isso tudo se transforma em peças funcionais, convertidas em uma produção delicada e amorosa, que, por sinal, tenho muito orgulho de ser modesta. Desencanei de vender lugares que exigem uma grande demanda, tenho o respeito e o capricho de produzir uma coleção reduzida pra venda no meu ateliê e no Casulo Moda Coletiva, em processo de slow motion da moda e do consumo.

Boa Vida Online – De uma maneira geral, em que se baseiam suas produções?

Violeta Naya – Minhas criações se baseiam no conforto, sempre. Faço roupas pra alegrar essas mulheres que querem vestir uma saia linda e rodada, com uma estampa ou textura legal, mas que ao mesmo tempo, não tragam nenhum aperto ou incomodo.

Fotos da coleção de Naya, por Raphaela Boghi.

Boa Vida Online – O que mais te inspira no processo criativo das suas peças?

Violeta Naya – Meu processo criativo é de constante observação das mulheres. Vejo gente rindo ou chorando na rua e vou anotando tudo, dando nome pra essas pessoas. Crio exatamente dentro dessas histórias que começo a rabiscar e passo a ilustrá-las, procurando texturas por onde passo. Ouço histórias que gosto de evidenciar com a delicadeza dos detalhes e no fim de cada coleção sempre vejo, um pouco, de tanta gente que passa por mim.

Boa Vida Online – Como funciona sua produtividade?

Violeta Naya – Monto a parte de desenvolvimento da coleção, pesquisa e compra de materiais. Também sou eu mesma que corto todas as peças, essa é uma das partes que mais gosto e acho de fundamental importância. Assim, tenho autonomia e responsabilidade da escolha de localização das estampas.

Fotos por Raphaela Boghi, dançando cores e texturas.

Boa Vida Online – Além de criar peças incríveis e cheias de vida, você também parece querer passar algo, além de simplesmente vender uma roupa aqui e ali. O que você anseia conquistar, ideologicamente falando, através da beleza do seu trabalho?

Violeta Naya – Desde que passei a atender pessoalmente as clientes no Ateliê, percebi a troca de aprendizado que acontece em uma venda. Muito mais do que isso, é no cafezinho e na boa prosa que se torna possível a prova de uma roupa, sempre dialogando com essas mulheres que chegam até mim, indagando um consumo mais consciente, promovendo o empoderamento de cada corpo e sempre testando possibilidades de estampas e formas. É importante respeitar os formatos de cada um, apresentando um tecido legal e estudando a melhor possibilidade em uma peça sob medida.

Aparecidas circulando livremente pela cidade

Espetáculo de dança “Aparecidas” atua na cidade como intervenção urbana. Violeta Naya apostou no figurino clássico de época

A Companhia de Dança Por Quá, promove o espetáculo “Aparecidas”, caracterizado por uma ação direta, executada no espaço urbano movimentado. Uma referência à estética glamorosa do cinema e da Pop Art, através de uma reinvenção criativa da vida, idealizada para o cotidiano. A provocação é “Divanear-se”. Naya teve todo um trabalho especial para esse projeto e deu o seu toque peculiar, numa pegada bastante clássica.

Boa Vida Online – Nos conte sobre sua atuação no projeto intervencionista “Aparecidas”:

Violeta Naya – O meu primeiro convite para realizar um figurino partiu da Companhia Quasar e agora a Companhia de Dança Por Quá me convidou para o espetáculo “Aparecidas”. Brinco que esse ateliê está aberto pra clientes e projetos “malucos” e pirar nesse desenvolvimento é o nosso oxigênio, o que nos move. Então, mesmo com um prazo curto, embarquei na consultoria e desenvolvimento do projeto.

Boa Vida Online – A criação do figurino partiu de qual pressuposto?

Violeta Naya – O pressuposto do figurino são as partes em que ele se divide. O primeiro são as Divas, onde os trajes são voltados para décadas e influências dos anos 50. Depois, Divas Luxo, focado em trajes de banho do decorrer das décadas. Foi necessário pensar em algo bastante confortável, já que os dançarinos se apresentam na rua mesmo, geralmente, em feiras populares. O figurino foi desenvolvido para o espetáculo, mas já tem gente querendo inclui – lo ao guarda roupa.

Espetáculo “Aparecidas” com figurino de Naya, os trajes de banho de época

 

Comentários