Neuróbica, exercícios para o cérebro

Nosso cérebro é extraordinariamente capaz de mudar seu padrão de conexões e de se adaptar diante de novos estímulos. Por isso, é de extrema importância que estejamos atentos, para não nos limitar às rotinas diárias e nos mantermos ligados apenas no piloto automático do cotidiano. Isso nos envelhece precocemente. A receita é aumentar o esforço intelectual constantemente e contrariar nossos hábitos, saindo da zona de conforto ao manter algum esforço, que nos desafie às tarefas que sejam diferentes das habituais. Essa é a ginástica aeróbica para os nossos neurônios, a NEURÓBICA!

Neuróbica - exercícios para o cérebro - exercícios mentais - boa vida online

Exercícios para o cérebro

No livro “Mantenha o Seu Cérebro Vivo”, de Lawrence C. Katz e Manning Rubin, há ensinamentos preciosos para a jovialidade cerebral, que pode ser muito bem trabalhada, mesmo que a idade cronológica esteja avançada, através de exercícios neurobiológicos. São exercícios simples, basta obrigar o cérebro a ser menos preguiçoso e a se adaptar às novas atividades.

Neuróbica - exercícios para o cérebro - exercícios mentais - boa vida online - terceira idade ativa

Os fumantes são um bom exemplo, para que possamos entender como funciona a nossa mente. Geralmente, as pessoas que fumam, acendem o próximo cigarro de forma automática. Depois do almoço, ao entrar no carro, quando bebem algum drink, imediatamente, lá se vai mais um cigarro. A tendência é ceder à força do hábito. Está errado.

A neurociência, através da Neuróbica, nos diz que, podemos nos tornar seres muito mais inteligentes, se não formos acomodados. Sem esforço, emburrecemos, perdemos a memória, nos tornamos velhos, e sem reflexos. E não há mágica alguma! Com exercícios simples, podemos ir longe e com a mente brilhante. Todos nós já vimos pessoas independentes e com autonomia aos 80, 90 e até 100 anos. O que será que essas pessoas têm em comum, que conseguem ir tão longe, diferente da grande maioria? Certamente, elas estimulam o cérebro com frequência e não se entregam ao tempo vivido. A tendência do ser humano é ir se cansando, se acomodando à medida em que o tempo passa. Busque o contrário das nossas tendências individuais. Nosso cotidiano é uma academia para nossos neurônios.

Como assim?

Podemos trabalhar nossas conexões cerebrais de duas maneiras:

  • Estar sempre experimentando o novo;
  • Deixar que o inesperado nos mova, no sentido de desafiar nossos hábitos;

Voltando ao exemplo do cigarro. Se, o costume é fumar depois do almoço, não o faça. Dê uma ordem ao cérebro que contrarie essa decisão de acender o cigarro. Essa atitude lhe confere poder e autonomia para decidirmos o que melhor nos convém.

Outros exemplos…

Toda segunda feira, muitas pessoas decidem começar uma dieta ou um programa de exercícios. Porém, pouco tempo depois, boa parte delas, desiste por falta de vontade ou de motivação. A Neurociência explica que o fato de obedecermos a uma rotina cegamente, nos faz viver no piloto automático. O ideal é promover constantes ajustes no dia a dia, obrigando o cérebro a algum esforço.

Mude sua rotina constantemente. Pessoas destras devem treinar a mão esquerda nas atividades em que esse lado é pouco usado. Assim: Troque o mouse de mão, escove os dentes com o lado contrário ao usual, não fume nos horários de costume, experimente novos caminhos, faça atividades inesperadas e surpreenda seu cérebro, tão acostumado a seguir a mesmice habitual, com essas surpresinhas. Outros exemplos: escreva com a mão contrária e exercite uma letra bonita. Isso é treinar a inteligência.

Ao invés de começar uma dieta da moda, faça o seu cérebro se conformar com uma reeducação alimentar. Utilize sua inteligência ao máximo para ter vida produtiva durante toda a sua existência na Terra. Na verdade, transforme o seu cotidiano em exercícios que desenvolvam a mente. Simples assim!

Neuróbica - exercícios para o cérebro - exercícios mentais - boa vida online Outra vantagem desses desafios mentais, é que nos tornamos altamente independentes, pois podemos potencializar nossos sentidos. Basta desafiar seu cérebro a treinar a consciência de alguns dos nossos sentidos, em detrimento de outro. Tipo assim: Coma algo com os olhos fechados. O sabor se acentua; Quando beijamos na boca, fechamos os olhos para que a sensação se destaque. Durante o sexo, quantos orgasmos potencializados podemos ter, com um simples exercício de combinação dos nossos cinco sentidos? A vida é melhor vivida, se não cedermos nossa existência, ao marasmo da preguiça.

Portanto, a ideia desse texto, que foi inspirada nesse livro de cabeceira, é ativar circuitos cerebrais adormecidos e aumentar a flexibilidade mental, para que possamos envelhecer ativos e capazes de superar as dificuldades da idade e de qualquer caminho. Podemos aprender a usar o imenso potencial inteligente, que nos foi conferido e que utilizamos tão pouco.

Sabe aquela história de esquecer com facilidade o nome das pessoas, de filmes, de coisas que fizemos, não faz muito tempo, ou seja, quando percebemos que nosso cérebro está “pifando”, é hora de ficar mais esperto e tomar providências para combater os sinais que indicam o início do declínio da agilidade mental. Assim, como tantas pessoas cultivam um corpo físico sarado e músculos tonificados, não se esqueça de praticar exercícios neuróbicos, para ter saúde mental.

Caso se interesse pelo assunto, busque na web esse delicioso livro, que nos torna diferenciados e muito inteligentes.

Sugestão de leitura – Mantenha o seu Cérebro VIVO, Lawrencw Kaz e Manning Rubin, 83 exercícios Neuróbicos para prevenir e aumentar a agilidade mental.

Comentários