O despertar da energia sexual

“Quando trouxe essa energia para minha vida, comecei um processo de transformação profunda, potencializando cada sentido”!

Quem me conhece sabe que sou adepta dos ensinamentos tântricos de Osho e das técnicas de pompoar. Quando trouxe essa energia para minha vida, comecei um processo de transformação profunda, potencializando cada sentido. A meditação, a ioga, os alongamentos, a musculação e, principalmente a respiração despertaram a consciência corporal e a força física foi selada com os exercícios de pompoar.

Quantos anos desenvolvendo uma técnica pessoal de um treino fácil, mas que exige disciplina e determinação! Hoje, me sinto muito equilibrada nas minhas emoções. Meu corpo é jovem e disposto e tenho a plena certeza que, todas as pessoas que decidem abrir a mente e sair do convencional, do fisiológico, para explorar a inteligência do corpo e toda a energia da qual podemos produzir, conseguem um salto de qualidade de vida.

Em breve, uma nova edição do meu livro será colocada como ebook, para que as mulheres conquistem um assoalho pélvico forte e saudável e muito prazer sexual. A pessoa amada é premiada com o calor da paixão e a vida ganha um arco-íris de cores!

Uma boa notícia é que a única vantagem que as mulheres orientais têm sobre nós, é que elas conhecem o potencial da vagina na adolescência e nós, ocidentais, só vamos aprender, depois de adultas, a dominar mentalmente a musculatura circunvaginal. Não faz mal. Nunca é tarde para se tornar uma mulher poderosa. Aliás, essa arte pode ser aprendida por qualquer mulher saudável, de qualquer biotipo ou idade. Algumas aprendem rapidamente, outras são mais lentas. Mas todas aprendem, isso é fato.

A musculatura vaginal na mulher do ocidente, muito provavelmente, por falta de estímulo, está adormecida e não reage com desenvoltura. Porém, quando treinada, a diferença é gritante. No início, pode-se achar difícil. Porém, com um pouco de persistência, é possível promover movimentos conscientes e que exigem entendimento do funcionamento interno do corpo. A partir do momento em que se consegue sentir-se por dentro, basta ter assiduidade e perseverança nos treinos, para rapidamente a força aumentar e, com muita habilidade, toda a movimentação dessa musculatura torna-se natural, sendo que você poderá executá-la com o mínimo esforço, com grande rapidez, dispensando a concentração mental inicial, exatamente como fazem as pompoaristas.

É incrível como os exercícios de pompoar, inseridos em um processo tântrico de auto-conhecimento, vão “acordando” nossa vagina e, simultaneamente, vamos despertando a nossa energia sexual. É o resgate da potência sexual bloqueada desde a infância. Na medida em que conhecemos e dominamos a musculatura da vagina e respiramos com toda a nossa capacidade pulmonar, vamos nos tornando livres da opressão, da culpa, da ignorância e do preconceito com a vagina e conseguimos, finalmente, relaxar e sentir em toda a plenitude a explosão da energia sexual. Foi exatamente assim que eu me senti. Este e-book, nada mais é, do que a minha experiência, que repasso a você, em breve. Sou uma comunicadora, com formação em jornalismo. Não tenho a pretensão de ser médica, fisioterapeuta, psicóloga, ginecologista ou qualquer outra profissional. Pelo contrário, neste ebook, busquei ser avalizada por profissionais da saúde, como o psiquiatra Mauro Elias Mendonça, especialista em Bioenergética, e a revisora do conteúdo médico, a ginecologista Fabiana Garcia, ambos contribuem com nosso entendimento pessoal. E, deixo à disposição da internauta, a didática simples e de fácil entendimento que desenvolvi, depois de uma longa caminhada de erros e acertos. Para mim não foi fácil chegar até aqui, mas para você, pode ser. Está tudo bem “mastigado”.

Para finalizar, que tal começar essa jornada de conhecimento, hoje?! Convide a quem se ama, para algumas horas de total dedicação à pele do outro. Experimente passar a ponta dos dedos em toda a extensão do corpo, como um aperitivo inicial! Depois… use a imaginação e, não controle, o céu…é o limite!

Comentários