Osteoporose em idosos- Envelhecimento da população exige mais cuidado com os ossos

O Brasil está envelhecendo. O país tem uma fatia a cada década mais consistente de pessoas com mais de 65 anos. A tendência, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de crescimento acelerado de pessoas na terceira idade. Portanto, se há algo que precisamos fazer é investir na prevenção de doenças. Neste artigo, em especial, falo de um cuidado maior com os ossos. A osteoporose em idosos tem alta prevalência. As quedas levam à fraturas e, isso em idosos, pode ser um degrau para uma péssima qualidade de vida!

Osteoporose em idosos - Envelhecimento da população exige mais cuidado com os ossos

Osteoporose em idosos – Fazendo um trabalho preventivo, essa fase da vida pode ser até bem divertida. É preciso ter saúde, autonomia, bom humor, boa auto estima, conquistas ao longo da vida!

 Osteoporose em idosos

Quando falo em cuidados com os ossos, não posso deixar de mencionar a osteoporose em idosos, um problema sério nessa fase da vida. A osteoporose rouba a densidade dos ossos. Eles ficam porosos e fracos, que se quebram com maior facilidade. Especialistas apontam para a genética, como preponderante em até 70% dos casos. Porém, algumas características devem ser consideradas, como fatores de maior risco para a Osteoporose. Sexo feminino, pessoas brancas, acima de 60 anos, que pesam menos do que 55 quilos, com histórico de fratura prévia por baixo impacto depois dos 40 anos de idade… Além disso, se há história familiar de fratura após os 50 anos de idade em parentes de primeiro grau, tabagismo, uso prolongado de corticoides, uso regular de bebidas alcoólicas e sedentarismo deve-se ficar ainda mais alerta. Sabendo disso, podemos compensar todos esses fatores de risco com um estilo de vida apropriado.

A prevenção que faz a diferença

Vamos combinar! Quem quer evitar a Osteoporose deve praticar atividade física regularmente. Exercícios de leve a moderado impacto e a musculação contribuem para o fortalecimento muscular e para a formação e o aumento da densidade mineral óssea. Podemos comparar dois idosos, sendo um deles sedentário e o outro praticante de atividade física regular. O idoso sedentário tem muito menos autonomia de marcha, se desequilibra com mais facilidade, está mais vulnerável à fraturas.

Periodicamente e de acordo com a orientação de um especialista, deve-se fazer um exame, conhecido por densitometria óssea. Esse exame mede a densidade mineral óssea. Caso, o resultado aponte para a Osteoporose, não se desespere. Ajustes na alimentação e suplementação de cálcio e vitamina D, certamente se farão necessários. O sol também é importante, apenas 15 minutos diários, sem o protetor solar, já atenuam o problema. O efeito do sol promove maior absorção da vitamina D. Faça o tratamento indicado e o devido acompanhamento do especialista

 

Comentários