Sal – Conheça os diferentes tipos utilizados na culinária

Comida sem sal é muito sem graça. Este tempero não precisa de mais nenhum outro. Ele é  definitivo. Mas tem que ser na dosagem certa. A mais ou, a menos, estraga o sabor dos alimentos. Mas, que tipo usar?

Sal - Conheça os diferentes tipos de sal utilizados na culinária

Os tipos de sal se diferenciam na composição e na quantidade de sódio.

Sal

Refinado, grosso, negro, rosa, light, líquido…Há uma diversidade interessante de tipos de sal no mercado. Cada um com sua peculiaridade, função e qualidade. Vamos conhecê-los e saber como utiliza-los na culinária?

Refinado

O  “sal de cozinha” é o mais utilizado na culinária de todo o mundo. Também conhecido, como “sal iodado” pelo acréscimo de iodo em sua composição. Houve um tempo em que boa parte da população sofreu de bócio, um aumento do volume da glândula tireoide geralmente causado pela falta de iodo. O iodo é um mineral, que quando falta ao organismo, desorganiza a tireoide. Só que seu consumo deve ser moderado.

Grosso

Antes de ser refinado, o sal é grosso. Esta é a versão bruta, retirada da salina. O bom churrasco de fim de semana leva apenas o sal grosso e fica perfeito. Dizem que um banho do pescoço para baixo é tudo de bom. A inveja e o mau olhado vão pelo ralo. Bom saber disso. Se não fizer bem, mal, também, não faz.

Negro

Com aroma semelhante ao da gema do ovo, este sal tem sua origem nos vulcões. Por isso, a cor é escurecida. Seu diferencial é o gosto, um pouco mais sulfuroso. Dá um certo realce ao sabor e à beleza do prato. Fica charmoso salpica-lo sobre a superfície de peixes e aves. Sua quantidade de sódio é semelhante ao sal de cozinha. Interessante tê-lo, como opção culinária.

Sal - Conheça os diferentes tipos de sal utilizados na culinária

Sal rosa do Himalaia, um dos queridinhos do momento

Rosa ou do Himalaia

Lindo, rosado, o sal do Himalaia é cheio de qualidades. Em sua composição, há a presença de óxido de ferro, que lhe confere propriedades antioxidantes e desintoxicantes. Esta versão previne e auxilia no tratamento de artrite, gota e outras doenças. Na culinária, é ideal para a preparação de carnes, aves, saladas e legumes.

Light

Nesse caso, a denominação “light” é para permitir seu uso na culinária de quem tem restrição ao sódio. Comparado ao de cozinha, ele possui o teor de sódio reduzido (50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio). Mas, para quem tem problemas renais, seu uso é contra-indicado. Além disso, o sal do Himalaia contém mais potássio que os demais. O aumento desse mineral no organismo pode causar danos. Mesmo contendo menos sódio que os outros, não exagere nas pitadas deste light.

Líquido

Tem gente que ama essa versão líquida, um tipo que é dissolvida em água mineral. Encontra-se na forma de spray. Os amantes da culinária o consideram bem prático. Borrifa-se de forma bem uniforme sobre o alimento, seu sabor é mais suave. O tipo líquido possui menos sódio do que o do tipo refinado.

Flor de sal

Além de apresentar um sabor intenso, a flor de sal é famosa por trazer uma textura crocante aos alimentos. Contém 10% a mais de sódio do que o de cozinha. Além disso, esse tipo também carrega em sua composição, magnésio, potássio e iodo. Lembre-se que, para conseguir saborear o crocante da flor de sal, o ideal é acrescentá – la ao prato após a preparação do alimento.

Saborizado

Esse é um tipo de  mais caro e difícil de se encontrar no mercado. No entanto, pode ser feito em casa. Basta desidratar ervas e sobras de legumes, moer tudo, junto ao sal grosso, por exemplo.

Faça seu próprio queijo. Veja essa receita caseira e leve-a para suas favoritas

#sal #salrefinado #saldecozinha #salnegro #salrosa #saborizado #salgrosso #flordesal #saliodado #salliquido #sallight #boavidaonline #boavida #auréliaguilherme

Comentários