Sushi – Riscos de intoxicação alimentar, com o gastroenterologista Rômulo Pereira

A culinária japonesa conquistou definitivamente o paladar do brasileiro. Cada dia surgem mais e mais restaurantes especializados na cozinha oriental. E a demanda também é crescente. Mas é preciso cuidado! Mesmo sendo considerados saudáveis, pratos feitos com peixe cru podem trazer riscos. Portanto, Sushi e os riscos de intoxicação alimentar são o tema desta conversa com nosso consultor em gastroenterologia, Rômulo Pereira.

Cozinha oriental: saiba como se prevenir de infecções alimentares

Os riscos de intoxicações alimentares são maiores no consumo de peixes crus

Sushi – Riscos de intoxicação alimentar

Se você é daqueles que não abre mão de um sushi, sashimi ou teriaki… Então, atenção! Escolha estabelecimentos com boas práticas de higiene na manipulação, armazenamento e processamento dos alimentos. Lembre-se que pratos feitos com peixe cru são alimentos altamente perecíveis. Sendo assim, seu consumo exige mais atenção de nossas escolhas. Saiba como se prevenir das intoxicações alimentares com o gastroenterologista Rômulo Pereira.

Dr. Rômulo Pereira fala sobre o consumo os cuidados na hora de consumir sushi

Dr. Rômulo Gustavo Pereira, gastroentereologista e Nutrólogo, CRM-GO – 8829

Aurélia Guilherme – Quem gosta de comida japonesa deve tomar que tipo de cuidados na hora de escolher restaurante?

Dr. Rômulo Pereira – O peixe cru é um alimento altamente perecível, portanto é importante escolher a procedência do local em que ele é servido ou vendido. Opte por um restaurante ou peixaria que tenha boas práticas de higiene na manipulação, armazenamento e processamento do alimento. Isso vale não só para os peixes, mas para todos os demais alimentos. É ainda importante a atuação devida dos órgãos fiscalizadores governamentais nestes estabelecimentos.

Aurélia Guilherme – Qual é a diferença entre uma intoxicação alimentar e uma infecção intestinal? 

Dr. Rômulo Pereira – Nem sempre é simples separar essas duas entidades. As duas podem se enquadrar como doenças transmitidas por alimentos (DTA). Essas são doenças veiculadas pela ingestão alimentar, podendo ser causadas por vírus, bactérias, protozoários e toxinas.

Confira mais matérias sobre saúde, visite o perfil do gastroenterologista Rômulo Pereira.

Aurélia Guilherme – Quais são os primeiros sinais de uma infecção intestinal por sushi? 

Dr. Rômulo Pereira – Não só por sushi, mas também por qualquer outro alimento contaminado, os sinais são semelhantes. São predominantemente sintomas gastrointestinais, com dor abdominal, vômitos, diarreia. Além de sintomas gerais como febre, mal-estar e dor de cabeça. Pode haver implicações em outros órgãos como pulmões, fígado e sistema nervoso.

Aurélia Guilherme – Como proceder, a partir desses sintomas? Quando é preciso procurar ajuda médica?

Dr. Rômulo Pereira – É importante procurar ajuda o mais rápido possível para avaliar a gravidade do problema. Na grande maioria das vezes são casos mais leves, havendo melhora com uma boa hidratação, medicamentos sintomáticos e repouso. Porém, há casos graves, que podem exigir internação, inclusive em UTI. É preciso atenção especial quando se trata de um indivíduo com a imunidade comprometida. É o caso de idosos, crianças menores, gestantes e doentes crônicos.

Aurélia Guilherme – O envenenamento por mercúrio também é um risco no consumo de sushi?

Dr. Rômulo Pereira – Isso não é tão frequente. Pois a maioria dos peixes usados para esse fim são considerados com baixo nível de mercúrio. No entanto, não quer dizer que o risco seja nulo. Principalmente porque este é um problema crescente diante da poluição dos oceanos. O mercúrio pode causar diversos danos à saúde, como problemas renais e cerebrais. Problemas imunológicos, como reações alérgicas. No caso de mulheres grávidas, o mercúrio pode prejudicar o desenvolvimento neurológico do feto ou da criança.

Poluição aumenta riscos de contaminação por mercúrio com o consumo de peixe cru

Contaminação por mercúrio é incomum, mas pode acontecer após consumo de peixe cru

Aurélia Guilherme – Mulheres grávidas são mais suscetíveis às infecções. Elas devem evitar o consumo de sushi? 

Dr. Rômulo Pereira – Consideraria a gestante um grupo especial de risco. Por se tratar de uma pessoa com a resposta imune diminuída, há um maior potencial de casos mais graves. Não diria haver proibição, mas sim que é necessário um maior rigor na escolha da procedência do alimento.

Aurélia Guilherme  Que outros conselhos o senhor daria às pessoas que gostam da cozinha japonesa ou que pretendem experimentá-la?

Dr. Rômulo Pereira – Observe com cuidado as condições de armazenamento, como a temperatura. Também observe a manipulação do alimento no local (em restaurantes, o sushiman). Veja a aparência do prato, o frescor, cheiro, paladar etc. Se mesmo assim, sentir que há algo errado no corpo após o consumo, procure assistência médica o quanto antes.

Aurélia Guilherme – Tem crescido o número de pacientes que chegam ao consultório com problemas relacionados ao consumo de peixe cru?

Dr. Rômulo Pereira – Tem crescido sim, pois o consumo da culinária oriental é relativamente recente no nosso meio. Assim como outras situações, quanto maior a exposição, mais frequentes são os problemas associados a ela.

Leia também:

Gordura no fígado, com gastroenterologista Rômulo Pereira

Intolerância alimentar, com o gastroenterologista Rômulo Pereira

#boavida #boavidaonline #sushi #cozinhaoriental #culinariajaponesa #peixecru #sashimi #intoxicacaoalimentar #infeccaointestinal #gastro #gastroenterologia #sushiman #alimentacaosaudavel #cozinhasaudavel #romulopereira

 

Comentários