Terapia Corporal, com Bethânia Loureiro

Existem inúmeras alternativas para curarmos nossas dores emocionais, alheias à medicação intensiva. Muitas vezes, nosso corpo está apenas refletindo a dor da alma, sinalizando o que não vai muito bem na nossa rotina ou desabrochando problemas que não querem mais se esconder.

Dentre as terapias alternativas, encontramos a Terapia Corporal, considerada um verdadeiro sucesso nos mais diferentes casos de doenças da alma. A especialista Bethânia Loureiro é quem nos inteira sobre o assunto:

bethania

Bethânia Loureiro é Terapeuta Corporal/Psicomotricista/Terapeuta Ocupacional e Sócia- proprietária do Aconchegar Núcleo Terapêutico;

Conceito

“A Terapia Corporal utiliza-se do corpo, como via de acesso às emoções, sentimentos e crenças limitantes. Esse é um tratamento que trabalha em busca da ativação das funções necessárias à vida e ao seu potencial de qualidade. A Terapia Corporal é um termo genérico, que inclui varias técnicas e métodos diferentes. Cada terapeuta se concentra e constrói seu caminho dentro da perspectiva que acredita ser mais funcional. Costumo seguir uma abordagem que inclui, trabalhar com o corpo, a mente e a alma. Utilizo-me de técnicas de respiração, meditação, massagens, visualizações dirigidas, E.F.T. (Emotional Freedom Tecnique), Reiki, Ho’oponopono, Aromaterapia, dentre outras”.

Para quem se destina

“A princípio, não há restrições quanto ao público, porém, é primordial que a pessoa tenha o desejo de receber esse tipo de abordagem. Requer um diálogo corporal, ou seja, a permanência do toque do terapeuta e a análise da linguagem corporal e muscular, muito mais do que só palavras. Muitos pacientes que iniciaram a Terapia Corporal começaram a se beneficiar pela Psicoterapia, o que é muito gratificante. O trabalho multidisciplinar é extremamente importante neste sentido.

Há casos extremos, em que é possível alcançar muito êxito, como por exemplo, o alívio de alguns sintomas, inclusive, em pacientes que passam por Quimioterapia. Casos de pacientes com Fibromialgias e Neuropatias, são outros exemplos positivos. Mas, a Terapia Corporal requer um acompanhamento periódico, assim como qualquer outra abordagem terapêutica de auto-conhecimento.

Também é importante ressaltar que, a Terapia Corporal é funcional para todo e qualquer tipo de sintoma ou doença, já que dentro dessa perspectiva de trabalho, o sintoma é uma oportunidade de entrar nesse processo de busca interior. E quando tomamos consciência do diálogo que a mente busca estabelecer, através do corpo, é que o caminho da cura se inicia”.

A importância de estar presente: o aqui e agora

“O passado serve de amparo e respeito à nossa ancestralidade, nós precisamos dele para identificarmos nossas raízes e compreendermos o nosso ponto de partida. O futuro é uma projeção, não temos o controle sobre ele, muito embora pensar sobre algo que não há controle algum, acaba agitando a mente, trazendo ansiedade e tensões musculares.

O único momento possível de ser vivido é o agora e é no sentimento de estarmos ‘presentes’ que devemos nos concentrar. A maioria das pessoas que atendo, têm dificuldade para desacelerar a mente e se concentrar no momento presente. Permanecer no passado ou desejar adiantar o futuro traz sintomas e doenças, que certamente, encontrarão algum espaço no corpo para se manifestar”.

Acessando os traumas, através da Terapia Corporal

“O corpo é um mapa dos acontecimentos da alma. A doença ou sintoma, é o ‘grito’ dessa alma auto-agredida, machucada. Esses sintomas estão estabelecendo uma comunicação com a pessoa e, de alguma forma, querem demonstrar o que não é possível verbalizar; aquela dor que ficou guardada ou foi ignorada. Dessa maneira, é necessário silenciar a mente para entrar em contato com o corpo e, assim, obter uma consciência corporal, se aproximando do sintoma. Isso pode se dar através de técnicas psicomotoras, como visualizações, mentalizações e diálogos com o sintoma, sempre escutando-o em sua forma mais pura, além de integrá-lo, de maneira amorosa, em seu devido lugar”.

Músculos tensos e as emoções

“A tensão muscular sinaliza a somatização de nossas emoções e a localização das tensões mais fortes, dizem muito sobre os problemas emocionais que a pessoa está vivenciando. O lado do corpo em que a tensão se localiza, também pode dar sinais à nossa investigação. Assim, vamos juntos: terapeuta e paciente, mapeando e fazendo as compreensões que fazem sentido à realidade, de tal maneira que podemos trabalhar, gradualmente, cada questão que for aparecendo”.

Conheça mais sobre o trabalho de Bethânia Loureiro 

 

Comentários