Testes de laboratórios em animais: crueldade em nome da saúde e da beleza

testes de laboratórios em animais Quando digo que, quanto mais eu conheço os homens, mais eu amo os animais, é porque, algumas atitudes humanas, nos levam ao primitivo, como o que as indústrias cosméticas e farmacêuticas fazem, em nome da “beleza” e da “ciência”. Estou falando sobre os testes em animais. Em pleno século XXI, para alcançar resultados em cosméticos, medicamentos ou produtos de limpeza e outros, ainda fazem experimentos em animais. Detalhe: Quase sempre, os testes são realizados sem anestésicos e, o pior, algumas indústrias envolvem o ato de vivissecção. Sabe o que é isso? Vivissecção é a dissecação de animais vivos para estudos.

Francamente, como podemos aceitar tamanha crueldade com os animais, seres adoravelmente vivos, que sentem medo, dor? É preciso respeitar a vida. No meu entendimento, a evolução do planeta retrocede ao primitivismo. Em nossa ignorância dessas práticas, compactuamos com esses testes. Já existem muitas outras formas eficientes de se substituir essas práticas, sem que se faça experimentos em animais vivos. Mais uma vez, esbarramos na ganância e nos interesses financeiros e políticos.

Testes de laboratórios em animais teste de laboratório em cãesPaíses de primeiro mundo, como Suíça, Alemanha e Inglaterra e outros, já aboliram os testes em animais. A maioria das Universidades dos Estados Americanos, como Harvard, Stanford e Yale julgam os laboratórios com animais vivos desnecessários e não os utilizam mais nas aulas práticas cirúrgicas, dos cursos de medicina. Existem substitutos em qualquer área. É preciso haver ética nos meios acadêmicos e científicos.

Portanto, precisamos fazer a nossa parte e boicotar todos os produtos de indústrias e laboratórios farmacêuticos, que testam fórmulas em animais vivos. Nós já sabemos a força que temos quando pressionamos e exigimos das autoridades alguma mudança de rumo.

Portanto, não podemos permitir que, em plena era da comunicação, um produto, seja um cosmético ou medicamento ou qualquer outro, sem as especificações devidas dos rótulos, que informam sobre a matéria prima utilizada em sua fabricação. Não vamos mais comprar produtos que não contenham informações, que nos deixa conscientes do que estamos consumindo. Os rótulos têm que informar se realizam testes em animais. Vamos convencer nossos amigos com esses argumentos que, se não forem suficientes, acrescente outros. Quer mais argumentos? Então, vamos as crueldades:

  • Teste de Irritação dos Olhos: Aqui, a ação nociva dos produtos químicos de limpeza e os cosméticos são testados diretamente nos olhinhos dos animais conscientes. Os coelhos, animais mais baratos, de fácil manuseio e de olhos grandes são os preferidos. Sem qualquer tipo de anestesia, a dor é tanta, que caso não estejam imobilizados em um suporte, eles arrancam os próprios olhos. Apenas a cabeça é exposta e os olhos são clipados para que fiquem abertos. Está bom para você? Tem mais, são necessárias 72 horas, para a constatação das reações alérgicas, inflamatórias das pálpebras íris, úlceras, hemorragias ou mesmo cegueira. Depois de tamanha tortura, os animais são mortos para averiguar os efeitos internos das substâncias experimentadas.

Testes de laboratórios em animais testes de irritação dos olhos

  • Teste Draize de Irritação Dermal: O animal é tosado até a pele ficar descoberta. Substâncias químicas são aplicadas e fitas adesivas coladas e arrancadas, até que a carne esteja viva. Isso é para observar o enrijecimento e as úlceras que surgem nesse processo.

Testes de laboratórios em animais Teste Draize de Irritação Dermal

  • Teste LD 50: Esse teste calcula os ingredientes tóxicos do produto. Um teste, com duração de alguns dias, realizado em mais de 200 animais simultaneamente. Através de sonda gástrica, os animais são obrigados a ingerir a substância para ver a reação dos efeitos. Dores ao extremo, convulsões, diarréia, dispnéia, emagrecimento, postura anormal, epistaxe, supuração, sangramento nos olhos e boca, lesões pulmonares, renais e hepáticas, coma e morte. As cobaias são ratos, coelhos, gatos, cachorros, cabras e macacos. Além da sonda, que é um tubo inserido na garganta, a substância testada, pode ser administrada por via subcutânea, intravenosa, intraperitoneal, misturada à comida, por inalação, via retal ou vaginal. Para que isso tudo? Para que nós possamos ter loções para o corpo, perfumes, pasta dental, amaciantes de roupa e outras substâncias potencialmente tóxicas. Nos testes, os “cientistas” utilizam a máxima concentração do produto, para que possamos usa-los com segurança.

testes de laboratórios em animais Teste LD 50

  • Testes de Toxidade Alcoólica e Tabaco: Embriagam animais, os obrigam a inalar fumaça e os dissecam.

Testes de laboratórios em animais Teste de toxidade alcoólica e tabaco

  • Experimentos de Comportamento e Aprendizado: Aqui, a crueldade vem com força. Para analisar formas diferentes de comportamento, os animais submetidos à privação materna, social, alimentar, de água, de sono etc. Milhões de animais são queimados vivos, envenenados, abusados, aleijados. Os fazem sentir dor, para testar o medo; choques elétricos para estressar a cobaia. Em alguns desses experimentos, eles abrem o cérebro do animal, sem anestésico algum, para a implantação de eletrodos e estudos fisiológicos. Também costumam arrancar parte do cérebro e os colocam em labirintos para que achem a saída; não os deixam dormir; filhotes são separados das mães.

Testes de laboratórios em animais Experimentos de Comportamento e Aprendizado

Para! Eu estou passando mal e nem começamos a infinidade de exemplos das práticas de laboratório. Nós precisamos fazer alguma coisa. A nossa existência nesse mundo, certamente não é para que apenas cuidemos das nossas vidas e o resto que se dane. Não, vamos exigir as informações em rótulos, se nos produtos que consumimos, foram feitos testes em animais. Chega de tanta crueldade!

Andei pesquisando e enumerei alguns desses produtos. Mais saiba que existem uma infinidade deles. Muitas vezes, aquele creme antirrugas que usamos, foi testado nos olhinhos de coelhinhos. Prefiro as rugas a ter que sacrificar uma criaturinha tão inocente. Vamos dizer NÃO à indústria da beleza, da limpeza e de medicamentos que fazem testes em animais vivos e exigir das autoridades a abolição dessas práticas e uma nova postura acadêmica nas universidades de medicina.

Eu não uso mais produtos que financiam a crueldade animal: Não sou conivente com a dor. E você? Risque – os também da sua lista de produtos utilizados:

Monange Rosa, Condicionador Johnson’s Baby Gotas de Brilho; máscara Repair Rescue, da Schwarzkopf, Maybelline, Revlon, Pantene, Coppertone, Mary Kay,Dove, Listerine, MAC, Head Shoulders, TRESSemmé, AVON, Aquafresh, Johnson e Jonhson, Clorox, Windex, Vaseline, Colgate-Palmolive Co., Gillette Co. (Oral-B), Henkel (Schwarzkopf ), Kimberly-Clark Corp. (Cottonelle, Huggies, Kleenex, Kotex, Pull-Ups, Scott), L’Oréal (Anais Anais, Biotherm, Cacharel, Garnier, Giorgio Armani, Helena Rubinstein, Lancôme, Logics, Matrix Essentials, Maybelline, Ombrelle, Ralph Lauren Fragrances, Redken, Soft Sheen, Vichy, Vital Nutrients), Nina Ricci, Pfizer (Plax), Procter & Gamble Co. – P&G (Alfred Dunhill, Alldays, Always, Anna Sui, Antikal, Ariel, Atkinsons, Attends, Bess, Blend-a-Dent, Blend-a-Gum, Blend-a-Med, Blendax Anti Belag, Bogner, Bold, Bruno Banani, Camay, Carrera, Certina, Certina Med, Charles Jourdan, Cheer, Chiemsee, Chlorhexamed, Cindy Crawford, Clearasil, Comet, Cover Girl make up, Crest, Dash, Daymed, Ellen Betrix, Escada, Extase, Fairy, Firmodent, Gabriela Sabatini, Gabriele Strehle, Galileo, Gerry Weber, Ghost, Gillette Series, Giorgio Beverly Hills, Globe, Gucci, Head & Shoulders, Henry M Betrix, Herbal Essences, Hervé Léger, Hugo Boss, Ivory, Jean Patou,Lacoste, Laura Biagiotti, Lenor, Luvs, Marc O’Polo, Max Factor make up, Max Mara, Medinait, Meister Proper, Mexx, Mont Blanc, Muelhens, Naomi Campbell, Naturella, Oil of Olaz, Old Spice, Otto Kern, Pampers, Pantene, Pantene Pro-V, Priscilla Presley, Procter & Gamble, Puma, Rochas, Scannon, Secret Deodorant, Shulton, Sir, Spic & Span, Sumatra, Sure, Tempo, Tide, Tom Tailor, Tosca, Trussardi, Valentino, Vidal Sassoon, Wash & Go, The WellaCorporation-Sebastian, Wick, Wick Vaporub, Yardley, Yohji Yamamoto, Zest), Reckitt Benckiser (Airwick, Ava, Calgon, Calgonit, Easy Off, Fibish, Harpic, Lysol, Mop & Glo, Old English, Resolve, Spray ‘N Wash, Vanish, Veet, Woolite, Coty – Adidas, Calgon, Calvin Klein, Celine Dion, Cerruti, Chipie, Chloé, Chopard, Cindy Adams, Club Med, David Beckham, Davidoff, Esprit, Glow, The Healing Garden, Isabella Rossellini, Jennifer Lopez, Jette Joop, Jill Sander, JOOP!, Jovan, Kenneth Cole, Kimora Lee Simmons, Lagerfeld, Lancaster, Marc Jacobs, Mary-Kate and Ashley Olsen, Miss Sixty, Monsoon, Nautica, Nikos, Parera, Pierre Cardin, Rimmel, Roland Garros, Roots, Sarah Jessica Parker, Stetson, Vera Wang, Vivienne Westwood), Schering-Plough (Bain de Soleil, Coppertone, Dr. Scholl’s), Shiseido Cosmetics, Unilever (Axe, Calvin Klein, Cerruti parfemi, Chloe, Cif, Diversey, Domestos, Dove, Elida Gibbs, Elizabeth Arden, Fabergé, Finesse, Helene Curtis, Henry Cotton’s, Impulse, Lagerfeld parfumes, Lever Bros, Lux, Max Azria, Omo, Rexona, Signal, Suave, Sunsilk, Valentino). 

Vamos boicota-los e troca-los por outros, com milhares de opções fabricadas pela indústria limpa e consciente de que essa prática não é necessária:

Embelleze, Granado, Bio Extratus, Contém 1 g, Paul Mitchell, Vizcaya, Mahogany, Acquaflora, Yamá, Keune, Jequiti cless, Hinode, Impala, Água de cheiro, Lunablu, Memphis e também muitos outros. Existe uma banda do mundo industrial e acadêmico que não compactua com esse absurdo. Clique AQUI e veja a enorme lista das opções que podemos ter, sem que isso pese na consciência!

Testes de laboratórios em animais

Invasão dos ativistas à fábrica do Instituto Royal

Podemos nos conscientizar e nos unir em nome dos nossos amiguinhos. Quem não se lembra da invasão dos ativistas à fábrica do Instituto Royal, no interior de São Paulo, quando libertaram centenas de cachorros da raça Beagle?

Nós podemos mudar essa realidade e fazer com que parem com os testes em animais. Me perdoem, se fui injusta com alguma das marcas citadas. Me retrato, se o caso for. Mas, lanço esse apelo público: Não vamos mais financiar a crueldade animal.

Temos que nos manter informados. Existe um site que pesquisa o nome da marca e se ela faz uso de animais em teste de produtos e medicamentos:www.peta.org

Pela ONG brasileira PEA, também podemos obter informações, assim como o blog Beleza Vegana.

Boicote já. É preciso fazer algo pelo mundo. Eu, você, todos nós podemos salvar os animais!

Comentários