Ozonioterapia, a incrível terapia tão pouco conhecida no Brasil

Dias atrás, me interessei por uma tecnologia de tratamento muito interessante, conhecida como Ozonioterapia. Embora a técnica não seja reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, CFM, a mistura de gás ozônio com oxigênio medicinal é um verdadeiro bálsamo para muitas lesões. Problemas infecciosos, inflamatórios e de má circulação, em várias vias de aplicação. A Ozonioterapia é utilizada desde o século 19, com maior ênfase durante a Primeira Guerra Mundial. Médicos alemães e ingleses a utilizavam nas feridas e gangrenas dos soldados, conforme publicado na revista The Lancet, nos anos 1916 e 1917.

Ozonioterapia, a incrível terapia com a doutora Claudinelli Aguilar | Saúde | Boa Vida Online

O ozônio é um gás de cor azul claro constituído por três átomos de oxigênio

Ozonioterapia

Nada de medicamentos, apenas Ozonioterapia. Esta é uma terapia que mistura Oxigênio e Ozônio no tratamento de diversas lesões e doenças. Além de sua incrível propriedade de estimular a circulação, a Ozonioterapia tem excelente função antiinflamatória, infecciosa e isquêmica. Com tantas pesquisas e casos comprovados da eficácia desse tratamento, não há como não dar atenção à amplitude dos efeitos biológicos da Ozonioterapia. Sua ampla ação bactericida, fungicida e bacteriostática tem efeito muito in

Ozonioterapia, a incrível terapia com a doutora Claudinelli Aguilar | Saúde | Boa Vida Online

A Hidro-Ozonioterapia é cicatrizante, anti-inflamatória e desinfetante. Combate o estresse e relaxa. Além disso, revitaliza o organismo, melhora a oxigenação cutânea e descongestiona os poros da pele. A hidro-ozonioterapia tem efeito bactericida e fungicida. Estimula o metabolismo da célula (ajudando na eliminação de gordura localizada eliminando os triglicerídeos e gordura, aumentando o ATP da célula eliminando a flacidez cutânea (da pele). Elimina toxinas e impurezas. Aumenta a circulação periférica. Promove o fortalecimento muscular. Auxilia na recuperação de contraturas, distensões e contusões. Diminui a dor e espasmos musculares. Melhora a musculatura respiratória. Melhora a ansiedade e o estresse. Atenua distúrbios do sono. Facilita o movimento articular e diminui as dores a da artrite

teressante nas doenças infecciosas. Além disso, essa terapia é um diferencial e tanto nos tratamentos para:

 

  • Feridas infectadas, de difícil cicatrização, úlceras varicosas, pé diabético;
  • Queimaduras;
  • Problemas circulatórios em geral;
  • Colites, proctites, fístulas e demais afecções do trato intestinal;
  • Problemas osteoarticulares com inflamações crônicas, como artrites, tendinites, artroses;
  • Hernia e protrusão discal com dores lombares e cervicais;
  • Condições de imunodeficiência;
  • Doenças auto-imunes;
  • Como terapia complementar em certos tipos de câncer;
  • Como coadjuvante na recuperação pós-operatória;
  • Para minimizar os efeitos debilitantes do envelhecimento

Efeitos colaterais

Se aplicada corretamente, a Ozonioterapia é praticamente isenta de efeitos colaterais. Apenas algumas contraindicações, como em pacientes com deficiência da enzima Glicose-6-Fosfato Desidrogenase (G6PD), conhecida como Favismo. Esses teriam risco de hemólise, ou seja, lesão das hemácias. Há contraindicações para os casos de hipertireoidismo descompensado e anemia grave. Nesses, há necessário de estabilizar o paciente primeiro, para não acelerar o metabolismo, que já é elevado.

Esta é uma terapia que deve ser considerada em casos de dor e para aumentar a imunidade. O paciente se sente mais disposto. O melhor é a versatilidade de sua aplicação. A depender da patologia a ser tratada, essa terapia pode ser realizada em ambiente ambulatorial, como hospitalar. As vias de aplicação podem ser intramuscular, retal, intra-articular e tópica. Há relatos de que, quando a aplicação é intramuscular, intra-articular, subcutânea, ou quando a indicação é no túnel do carpo, a terapia é um pouco dolorida. No entanto, na grande maioria das formas de aplicação, não há relatos de dor ou grandes desconfortos.

O A escolha da forma de aplicação vai depender do diagnóstico do problema. Da mesma forma a via de aplicação, a concentração a ser utilizada e número de sessões. O tempo de adoecimento e as condições clínicas também são levados em conta. O importante é a indicação correta para um tratamento bem personalizado. Há formas de aplicação que levam poucos minutos e outras que chegam a 60 minutos.

Terapia de muitas utilidades

Esta é uma terapia que pode estar presente na água de beber ou em banheiras para banhos. É excelente na recuperação pós operatória e em grandes queimados. A Ozonioterapia também pode ser aplicada através de óleos vegetais, como o de Girassol e de Oliva. Na Itália, a utilizam em cremes anti-envelhecimento. Cuba a utiliza bastante, na forma de óleos e ultimamente estão desenvolvendo colírios ozonizados.

Em várias estações de água pelo mundo afora, como em Los Angeles e diversas cidades da Rússia, já utilizam Ozônio ao invés do cloro. No Brasil, temos clínicas de Hemodiálise, com taxa zero de infecção, que utilizam ozônio para tratar a água das suas máquinas.

Os italianos são o povo que mais utiliza a Ozonioterapia na composição seus cremes na área estética. Mas as aplicações diretas são utilizadas para minimizar marcas de expressão, gordura localizada, varizes. No Rio de Janeiro, há diversos centros voltados para pós-operatório de cirurgias plástica, em que utilizam ofurô, com água ozonizada. Nos EUA, a utilizam bastante em esterilização de materiais e em centros cirúrgicos. Além de ser excelente na higienização de frutas e verduras. Já é mais comum também no Brasil, o uso do Ozônio em piscinas. Ozonioterapia também é utilizada na Odontologia e na Veterinária,Ozonioterapia, a incrível terapia com a doutora Claudinelli Aguilar | Saúde | Boa Vida Online com fins terapêuticos.

Leia também: Benefícios da vitamina D

Veja também sobre os erros alimentares, AQUI! 

Resistência do meio médico

Atualmente a Ozonioterapia é reconhecida pelo Sistema de Saúde de vários países. Alemanha, Suíça, Áustria, Itália, de Cuba, Ucrânia, Rússia, Grécia, Israel, Egito e Austrália. A Ozonioterapia também é praticada em 13 Estados dos Estados Unidos da América (Arkansas, Washington, Califórnia, Colorado, New México, Texas, Oklahoma, Geórgia, New York, North Carolina, Ohio, Minnesota e Nevada). Os seguros médicos reembolsam os procedimentos de Ozonioterapia na maioria desses países.

Seguros-saúde da Alemanha, desde a década de 1980, pagam tratamentos com a Ozonioterapia. Isso representa uma forma muito séria de reconhecimento do método. Neste país são realizados sete milhões de tratamentos todos os anos.

Na Rússia, a Ozonioterapia é utilizada em quase todos os hospitais governamentais, aprovada pelo Ministério da Saúde. Na Ucrânia, a prática também é aprovada pelo Ministério da Saúde.

Cuba, conta com 39 Centros Médicos Clínicos de Ozonioterapia dentro de seus maiores hospitais. Além disso, Cuba tem incorporada a terapia em suas rotinas de atendimento. Nesses Centros Médicos são aplicados, investigados e documentados todos os aspectos relativos ao método. Nas últimas duas décadas, em Cuba foram produzidos um grande número de trabalhos sobre a Ozonioterapia, com rigor científico. Tais artigos foram publicados em revistas indexadas, coordenados pelo Centro de Investigaciones del Ozono, em Havana.

Aproximadamente 15.000 médicos utilizam a Ozonioterapia na Europa atualmente. 

No Brasil a técnica ainda está em discussão pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Ainda não é aceita no rol de procedimentos médicos. Mas, eles alegam que ainda há falta de estudos científicos contundentes. Mesmo com tantas pesquisas publicadas em diversos periódicos internacionais. No entanto, o Conselho Federal de Odontologia, em Novembro de 2015, reconheceu a Ozonioterapia, como Procedimento Odontológico.

Em Junho de 2015, a Comissão de Câmaras Técnicas do CFM, se reuniu com a ABOZ (Associação Brasileira de Ozonioterapia). Eles deliberaram o reconhecimento desta tecnologia. Porém, mais uma vez, solicitaram mais estudos científicos, além dos que foram apresentados até então. Até quando?

Veja também sobre ANEMIA, o que precisamos saber, quando nossa ‘fábrica’ de sangue ‘pifa’!

 Fonte: Dra. Claudinelli Aguillar, Cardiologista, CRM 6781

#boavida #boavidaonline #aureliaguilherme #ozonioterapia #ozonioterapiaemgoiania #colíriosozonizados #Oxigênio #Ozônio #beneficiosdaozonioterapia

Comentários