Vitamina D, sol e suplementos

A Vitamina D é  fundamental ao bom funcionamento do corpo.  A Vitamina D participa ativamente da formação óssea e odontológica da infância. Além disso, é importante no metabolismo do cálcio ao longo de toda a vida. E, ainda tem  papel importante no tratamento da fraqueza muscular, da psoríase, da asma e até das doenças cardiovasculares. Vitamina D, sol e suplementos, tudo o que você precisa saber está aqui!

Vitamina D, sol e suplementos

Vitamina D, sol e suplementos -Das 10 às 16 horas, apenas 15 minutos de sol garantem a absorção da Vitamina D no organismo. Os ossos se fortalecem e garantem boa densidade

Vitamina D, sol e suplementos

A Vitamina D é, na realidade, um hormônio e, participa de diversos processos fundamentais em nosso organismo. Atua no metabolismo dos ossos e dos dentes, no sistema imunológico, no aparelho cardiovascular. É também importante na proteção contra o desenvolvimento de câncer, através do controle da expressão dos genes.Estudos indicam que 80% dos adultos sofrem com a deficiência da vitamina D, pela baixa exposição ao sol. Para resolver o problema, Vitamina D, sol e suplementos, tudo sob orientação profissional. 

O que o sol tem a ver com a deficiência de Vitamina D?

A maior produção de Vitamina D em nosso corpo acontece através da pele. A exposição ao sol, pela incidência dos raios Ultra Violeta B (UVB), é de grande importância. Atualmente, as pessoas praticamente não se expõem ao sol. E, se o fazem, é com uma camada de filtro solar que as protege desses raios. Segundo alguns estudos, 80% das pessoas que vivem em ambientes urbanos, em suas jornadas de trabalho e/ou de estudo, estão com deficiência de vitamina D.

Tomar sol é necessário

Para obter a produção de Vitamina D na pele, é necessário expor-se ao sol. Exponha a maior superfície corporal possível, de 15 a 30 minutos. Dependendo da cor da pele, a exposição solar deve ser de 4 a 5 vezes na semana.

Se for tomar banho, após a exposição ao sol, não passe sabonete na pele. Essa vitamina é lipossolúvel e o sabão ou o shampoo podem dissolvê-la, inibindo sua conversão, e consequente absorção.

O horário indicado para absorção da Vitamina D é o de maior incidência dos raios UVB. Portanto, de 10 e 16 horas, o horário que corresponde, justamente, ao horário de maior risco de câncer de pele. Mas lembre-se, são apenas poucos minutos diários. Nada que comprometa a saúde da pele. O bom senso diz muito sobre a saúde. 

Alimentos e a Vitamina D

 Esses são os alimentos que oferecem maior teor de vitamina D:

Salmão, sardinha, mariscos, cogumelos, óleo de fígado de bacalhau e o ovo.

Necessidade de suplementação

É preciso considerar nossos hábitos urbanos. Com a falta de tempo e uma alimentação pobre em nutrientes, elevado nível de estresse, células inflamadas e de exposição às toxinas, a necessidade Vitamina D tornou-se ainda maior. Portanto, é necessária a suplementação na esmagadora maioria das pessoas. Pessoas portadoras de doenças auto-imunológicas, tais como esclerose múltipla e artrite reumatóide, têm uma necessidade bem maior de suplementação de Vitamina D. Pessoas que vivem em regiões muito frias, nos polos, onde as noites são mais longas e onde o inverno rigoroso impede a exposição à luz solar, também. A suplementação é ainda mais importante em pessoas de pele negra e que migram para estas localidades de pouca luz solar.

Veja AQUI, a excelente entrevista sobre Vitamina D e o Protocolo Coimbra 

Diagnóstico

Para saber se uma pessoa tem deficiência de Vitamina D, é necessário que o médico solicite um exame de sangue intitulado 25-Hidroxivitamina D. É importante medir o grau de deficiência dessa vitamina para nortear a dosagem a ser usada na suplementação. Mantenha a prática a cada 90 ou 120 dias, para monitorar o alcance das metas desejadas para seu quadro clínico. Não há uma dose padrão para a reposição. Isso é individual e deve ser determinado pelo grau de deficiência aferido no exame de sangue. Por isso, é necessário acompanhamento médico e laboratorial dos níveis de produção do hormônio da paratireoide e de cálcio no sangue. Este último deve ser medido também na urina, para não ultrapassar os níveis saudáveis.

Vitamina D, sol e suplementos

Vitamina D, sol e suplementos -É fundamental  medir o grau de deficiência desse hormônio e nortear a dosagem a ser usada na suplementação

 Vitamina D na prevenção de doenças 

Sabe-se que a Vitamina D participa ativamente da formação óssea e odontológica na infância e no metabolismo do cálcio, ao longo de toda a vida. Portanto, níveis séricos adequados desta vitamina podem ajudar a evitar Doenças Periodontais, Raquitismo, Osteomalácia e Osteoporose. Como a Vitamina D mantém ativo o sistema imunológico como um todo, inclusive nas vias aéreas, ela previne Gripes e Resfriados. Auxilia ainda no controle das doenças autoimunes, por isso tem indicação para Psoríase. Estudos epidemiológicos evidenciaram que mães que tiveram maior ingestão de Vitamina D, durante a gestação, tiveram filhos com incidência 40% menor de Asma. Uma maior ingestão dessa vitamina, também está associada à maior capacidade de hipertrofia muscular e, consequentemente, diminuição da Fraqueza Muscular.

Veja também:

O que fazer quando há acentuada perda óssea, com necessidade de enxertos para implantes dentais

Osteoporose, entenda sobre o enfraquecimento dos ossos

Gripes e Resfriados – H1N1 os riscos de uma epidemia

Asma – o tratamento eficaz AQUI!

Fraqueza Muscular quando se torna uma doença degenerativa

A Vitamina D é produzida na pele pela ação dos raios UVB, como dito acima. Mas ela ainda é um composto inativo. Apenas quando passa pelos rins, através da catalização de uma enzima específica, é que se torna ativa e participa dos processos citados. Portanto, portadores de Insuficiência Renal Crônica têm maior deficiência de Vitamina D ativa. Assim, ficam sem seus benefícios, especialmente em relação às doenças ósseas. É importante intensificar as doses de Vitamina D, sol e suplementos.

Esta importante vitamina também se associa ao aumento da resistência insulínica. Por sua vez, induz a um quadro de Diabetes Tipo 2 e Síndrome Metabólica, importantes fatores de risco para o desenvolvimento de Doenças Cardiovasculares, como Hipertensão Arterial e Doença Arterial Coronariana.

Enfim, em relação ao Câncer, estudos têm mostrado maior incidência de tumores em portadores de deficiência de Vitamina D. Sua suplementação se associa à prevenção e, também, à melhora da sobrevida, especialmente, em portadores de câncer colorretal.

Tem mais…

Estudos experimentais publicados em revistas de alto impacto científico, evidenciaram a existência de uma associação entre baixos níveis de vitamina D e o desenvolvimento de doenças neurológicas e psiquiátricas. Maior incidência de Esquizofrenia se relacionou com baixos níveis de vitamina D, em alguns estudos. Mas, não se sabe ao certo, como essa associação é estabelecida, devido à carência de estudos experimentais na área. Mas há uma tendência de fazer suplementação para estes pacientes.

Em relação à Depressão sazonal, ou seja, mais frequente no inverno, onde a exposição solar diminui drasticamente, a carência de vitamina D é claramente associada aos quadros de redução de humor. Sua suplementação nestes períodos do ano, se faz fundamental, principalmente naqueles países, onde o inverno é mais rigoroso.

Psiquiatras do Texas, nos EUA, publicaram em periódicos renomados a forte ligação entre baixos níveis séricos de Vitamina D e Depressão, não somente sazonal, e a sua suplementação parece trazer benefícios.

Fonte: Dra. Claudinelli Aguillar, Cardiologista, CRM-GO 6781

 #vitaminaD #VitaminaDsolesuplementos #cálcio #sol #suplementaçãodevitaminaD #fraquezamuscular #psoríase #asma #doençascardiovasculares #resistênciainsulínica #depressãosazonal #doençasautoimunes #FraquezaMuscular #câncercolorretal #Asma #InsuficiênciaRenalCrônica #DoençasPeriodontais #Raquitismo #Osteomalácia #hipertrofiamuscular #Osteoporose  #sistemaimunológico #GripeseResfriados #boavidaonline #boavida #aureliaguilherme

 

Comentários