Xangô Turbantes: moda e atitude

Xangô Turbantes Goiânia

Xangô Turbantes: alguns acessórios da marca, idealizada por Lívia Nunes

O turbante não é um simples adereço, possui significado, história e está relacionado ao empoderamento da mulher negra. A Xangô Turbantes, de Goiânia, vem mostrar justamente o valor dessa peça, que vai muito além da estética. Criada em 2014, por Lívia Nunes, a marca, que faz entregas para todo o Brasil, vem conquistando cada dia mais espaço e o coração de suas clientes, por aliar moda e atitude. A ideia surgiu da necessidade de encontrar este tipo de adorno, no mercado goiano. Mais detalhes sobre a Xangô Turbantes, você confere a seguir, na entrevista que a idealizadora da marca, Lívia Nunes, concedeu ao Boa Vida Online:

xango turbantes Lívia Nunes Goiânia Boa Vida Online –  Como surgiu a Xangô Turbantes?

Lívia Nunes – Criei a Xangô Turbantes em outubro de 2014. Na época, percebi que não havia esse tipo de adorno em Goiânia, ou, se tinha, não era tão divulgado. Pensando nisso, e em outras questões, como a valorização da beleza feminina e, principalmente, da mulher negra, resolvi criar a marca. O nome foi escolhido devido a minha identificação e admiração pela cultura africana.

Boa Vida Online – Por que a escolha por este tipo de acessório?

Lívia Nunes – Optei pelo turbante, como disse anteriormente, porque era algo que faltava em Goiânia. Além disso, é um elemento cultural que acho bonito, tem poder e significado. Os turbantes não são apenas um tecido no qual se envolve a cabeça.

Lívia Nunes , idealizadora da Xangô Turbantes, é graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Goiás e Mestre em Antropologia Social pela mesma instituição. Atualmente está cursando Design. “Todo esse período foi muito importante para o meu desenvolvimento crítico, bem como no processo de entender o outro e, acima de tudo, respeitar as diferenças, mas desde o princípio, sempre estive muito ligada à criação. Penso várias coisas e sinto a necessidade de expressá-las, de alguma forma. Assim, me arrisco pintando, costurando, etc”. 

Boa Vida Online – A busca por este tipo de produto cresceu nos últimos anos ou você acredita que sempre foi grande?

Lívia Nunes – Acredito que houve um crescimento sim, principalmente em Goiânia. Em outras cidades, de maior  proporção, percebe-se que o uso e a venda de turbantes é mais frequente. O que me deixa perplexa, se tratando da comercialização do acessório, é o fato de que muitas pessoas banalizam este elemento tão rico de significados, produzem uma faixa estreita de tecido e dizem ser um turbante. Acho isso um desrespeito com a cultura alheia, é a mesma coisa de você vender metal dizendo que é prata, por exemplo.

Boa Vida Online – Como você avalia a relação entre o acessório e o empoderamento feminino? Principalmente o empoderamento da mulher negra: 

Lívia Nunes – Acredito que para cada mulher existe um significado no uso do turbante. Este elemento cultural está ligado ao empoderamento, principalmente da mulher negra, é um símbolo de resistência e resgate da ancestralidade. Para elas, o uso deste adereço gera uma sensação de pertencimento e proporciona, sem dúvida, uma melhora na autoestima.

Boa Vida Online – Onde nossas leitoras podem conhecer mais do trabalho da Xangô Turbantes?

Lívia Nunes – Para conhecer os produtos da marca, basta acessar a página do Facebook ou Instagram. E-mail: [email protected] Não possuo loja física, a divulgação e venda dos produtos, se dá por meio das redes sociais.

Comentários